Desde o início da pandemia muito se falou sobre harmonização facial e a transformação de famosos e influenciadores que buscam contornos e formatos perfeitos no rosto. Mas, apesar da popularidade, se comparadas as buscas no Google por “harmonização facial”, “rinomodelação” e “rinoplastia” nos últimos 12 meses, “rinoplastia” tem uma média de pelo menos 3 vezes mais procura que os outros termos. Isso porque apesar do constante crescimento e popularidade dos demais procedimentos estéticos, a cirurgia plástica de nariz é a que mais tem credibilidade e histórico para os brasileiros.

Se analisada apenas a busca por rinoplastia, uma das mais populares intervenções estéticas, a procura por informações e notícias sobre a cirurgia aumentou significativamente desde 2020. E, como uma alternativa à cirurgia, a rinomodelação tem sido apresentada para melhorar a aparência e a autoestima de quem deseja fazer mudanças no nariz. Mas o que esperar de cada uma e quais fatores devem ser considerados na hora da escolha do procedimento ideal? 

Segundo o Dr. Jamisson Melo, otorrinolaringologista e cirurgião de nariz, a rinoplastia tem a finalidade de corrigir as imperfeições, bem como atuar em mudanças a partir dos desejos do paciente com base em seus conceitos de beleza, podendo inclusive corrigir defeitos funcionais.

“Um dos principais fatores positivos da rinoplastia é que este procedimento só pode ser feito por médicos e, de preferência, com foco nessa cirurgia. Sendo assim, todo o pré-operatório é acompanhado por profissionais que vão analisar profundamente todos os fatores que levam o nariz ao formato específico e também as condições de mudança. Sabemos que a espessura da pele, os ângulos do nariz e as proporções do rosto são únicas de cada paciente, por isso devemos entender quais são as possibilidades de cada um. Essa responsabilidade de alinhamento de expectativas é fundamental”, explica o cirurgião. 

Já a rinomodelação,​ apesar de ser um procedimento não cirúrgico e, em teoria, apresentar menos riscos, consiste na utilização do​ ácido hialurônic​o para modelar e remodelar a região.​ Por ser uma técnica baseada no conceito de preenchimento facial, não permite que sejam feitas grandes alterações ou modificações e utilizada apenas em pequenas imperfeições, sem caráter funcional de respiração associado. 

“No caso da rinomodelação, os pacientes devem levar em conta que é um procedimento mais rápido e realizado no consultório, porém não definitivo e com resultados muito limitados. Ou seja, os resultados duram apenas ao longo de um ano, e após esse período o paciente deverá fazer o procedimento novamente. Também é importante considerar que, quando utilizada em excesso ou com produtos de baixa qualidade, as rinomodelações ​podem trazer muitos problemas. Portanto, pode trazer riscos se não feita​ com o profissional capacitado​”, afirma. 

Segundo o cirurgião, ao observar os fatores que levam os pacientes a optarem pela rinomodelação, o fato de não ser definitiva é um dos principais fatores de decisão, visto que os pacientes ainda têm medo do resultado. Mas o especialista afirma que este não precisa ser o fator crítico entre as duas técnicas​. “Antes tínhamos mais desafios em relação ao resultado e satisfação de uma rinoplastia, mas atualmente temos simuladores tridimensionais que nos permitem chegar a uma previsão muito próxima de como ficará o nariz do paciente após a cirurgia. Isso faz com que se sintam mais confiantes, pois já conseguem ver antes mesmo da cirurgia qual será a possível transformação”, finaliza o especialista.