O município de Poconé passou a contar com sete pontos de monitoramento com câmeras equipadas com tecnologia OCR, que faz o reconhecimento de placas veiculares, e que são interligadas com o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), na Capital.

A iniciativa foi do Sindicato Rural de Poconé, que investiu R$ 700 mil para garantir a implantação dos pontos de monitoramento, torres de telecomunicação, rede elétrica e as manutenções necessárias para que as imagens sejam transmitidas diretamente ao Ciosp e para a base do Grupo Especial de Fronteira (Gefron), em Porto Esperidião.

O termo de parceria entre a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e a entidade foi assinado no Parque de Exposição da cidade, no início da 42ª Semana do Cavalo Pantaneiro, comemorada na região por meio de vários eventos.

O presidente do Sindicato Rural de Poconé, Raul Santos Costa Neto, contou que outras entidades do município, entre elas a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), o setor de turismo, de mineração e até mesmo de Organizações Não Governamentais (ONGs), auxiliaram na aquisição dos equipamentos.

“Antes ouvíamos falar do comando vermelho no Rio de Janeiro, hoje ouvimos que o comando aliciou um operador de pá carregadeira aqui em Poconé, por exemplo, e a insegurança é grande. Fomos até a Secretaria pedir um reforço para a cidade e nos foi proposto esta missão e hoje tivemos o objetivo cumprido”, contou Raul.

O secretário adjunto de Integração Operacional da Sesp-MT, coronel PM Juliano Chiroli, esteve durante a entrega e falou sobre a importância da parceria com o Sindicato e agradeceu o desempenho da sociedade em ajudar no combate ao crime. Ele aproveitou para falar sobre os investimentos que estão sendo feitos no estado e ressaltou que as câmeras irão auxiliar no serviço de inteligência da polícia.

“As câmeras OCR vão garantir mais segurança à sociedade sendo uma realidade que não vai fugir do futuro: a digitalização do sistema. Vamos fazer um trabalho de excelência utilizando essas câmeras junto às forças policiais para auxiliar nas investigações dos delitos que ocorrerem. Todos ganham, a comunidade ganha, a segurança ganha e todo o estado ganha. Que este trabalho seja uma referência para outras regiões de Mato Grosso”, comemorou Chiroli.

A Ausec foi a empresa responsável pela implantação dos pontos de monitoramento com câmeras OCR e ficará encarregada das manutenções preventivas e corretivas durante os próximos doze meses.

“Esses sete pontos de monitoramento estão conectados a uma rede de aproximadamente 200 câmeras espalhadas pela faixa de fronteira com a Bolívia, rodovia BR-163 desde a divisa de Mato Grosso do Sul até Sinop e os municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Campo Verde e Primavera do Leste. O objetivo é levar informações de todos os veículos que circulam na região, permitindo, monitorar e acompanhar a movimentação de atitudes suspeitas”, explicou Wagner Figueiredo, diretor da Ausec, empresa de tecnologia em segurança e automação.

O coordenador do Gefron, tenente-coronel PM Fábio Ricas, comentou que os pontos de monitoramento em outras regiões já dão resultado e por isso sugeriu a ideia da implantação das câmeras na cidade, que está na rota do tráfico e, atualmente, as organizações criminosas utilizam as estradas de acesso para chegar à Bolívia.

O tenente-coronel explica que as câmeras estão interligadas com o Gefron, em Porto Esperidião, e o monitoramento ajudará no combate ao furto e roubo de veículos, já que as placas são captadas e caso seja constatado que ele tenha uma restrição é gerado o alerta e uma barreira pode ser montada para realizar a abordagem.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta