O caminhoneiro identificado como Dalmo Batisti, de 60 anos, foi  esfaqueado no último domingo (13), porém não resistiu e morreu no Hospital Municipal Euclides Horst, em Campo Novo do Parecis (a 398 km de Cuiabá).

O caso aconteceu na Avenida Olacyr Francisco de Moraes, por onde passa a BR-364, no perímetro urbano da cidade. O suspeito do crime também é caminhoneiro. Ele fugiu e não foi localizado até a publicação desta matéria.

Dalmo chegou a Campo Novo com seu caminhão no último domingo. Após estacionar o veículo no acostamento da rodovia, ele foi abordado por um motorista de um caminhão baú. O homem afirmou que Dalmo havia fechado ele na BR.

Uma discussão se iniciou e o suspeito pegou um canivete e atacou a vítima. O homem foi encontrado caído no chão com dois ferimentos: um na altura do peito e outro na região da barriga. Ele foi socorrido com vida e encaminhado ao centro hospitalar, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na tarde desta segunda.

Segundo informações do jornalista Donizete Pontes, da TV Cidade Verde, Dalmo é natural de Rio do Sul (SC), a 197 km de Florianópolis. O repórter afirmou também que familiares estiveram na cidade para cuidar dos procedimentos a respeito do translado do corpo.

Compartilhe.

Jornalista, produtor cultural e escritor. Walney de Souza Rosa (Vavá Rosa) presta assessoria e escreve para sites de Mato Grosso e de todo o Brasil. Seus artigos literários e culturais já foram publicados em jornais da Europa, Canadá e Estados Unidos. Idealizador e Fundador em 21 de janeiro de 2011 da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, que compõe escritores, poetas, músicos e defensores da cultura pantaneira (com sede em Poconé) Entre obras já publicadas: A fé e o fuzil (A história de Doninha do Caeté); Boca da Noite (Ficção policial); Ei amigo (A história do Lambadão de Poconé).

Deixe uma resposta