Mais um dos criminosos envolvidos no homicídio de Pedro Paulo Pereira da Silva, morto em Cuiabá no ano passado, foi localizado no último fim de semana, quando teve a prisão cumprida.

O homem de 37 anos estava com a prisão decretada após representação da Polícia Civil em inquérito que apurou o homicídio ocorrido em abril de 2021. Ele foi encontrado na comunidade de Barranco Alto, em Santo Antônio de Leverger, pela companhia da Polícia Militar do município e encaminhado à Polinter da Polícia Civil para a formalização do mandado de prisão.

O crime foi investigado pelo núcleo da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Capital que apura homicídios cometidos por integrantes de organizações criminosas. Três investigados foram indiciados pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e integração de organização criminosa.

Um terceiro envolvido no crime está foragido.

Morte e ocultação de cadáver

Pedro Paulo, 31 anos, foi encontrado morto em 15 de abril do ano passado e,inicialmente, não foi identificado. Seu corpo foi localizado em uma rua não-pavimentada na ocupação denominada Jardim Humaitá, parcialmente carbonizado e enrolado em um cobertor. A vítima apresentava diversas lesões na cabeça.

A partir da investigação instaurada pelo delegado Caio Fernando Albuquerque, a equipe policial reuniu diversas informações sobre a vítima, que possibilitaram à Polícia Civil identificar duas pessoas envolvidas diretamente no homicídio.

A apuração levantou ainda que a vítima foi morta em uma residência no bairro Jardim Presidente 2 e o corpo desovado no Jardim Humaitá. Informações coletadas no curso da investigação apontam que foram ouvidos gemidos e gritos de agonia vindos da residência, assim como vozes de duas pessoas no local.

Com a identificação da residência, foram realizadas perícias que indicaram que o local foi lavado, no intuito de apagar os vestígios de sangue da vítima que foram encontrados em diversos pontos da casa, além de objetos. Após a execução do crime, os dois suspeitos não foram mais vistos na região.

Durante as diligências, os investigadores identificaram também uma camionete que teria sido usada para transportar a vítima da casa onde foi morta até o lugar onde o local em que o corpo foi desovado. Em depoimento, o proprietário do veículo declarou que emprestou a camionete, uma S10, a um dos suspeitos do crime, que a devolveu lavada.

As informações reunidas no inquérito indicaram que o crime foi cometido porque, supostamente, a vítima teria cometido crimes no bairro onde residia e, assim,teve a morte ‘decretada’ por intregrantes de uma facção criminosa em um ‘tribunal do crime’. Pedro Paulo sofreu diversos espacamentos.

“A vítima foi agredida, seguramente, por mais de um executor, o que se evidencia pela quantidade de lesões e decidiu-se pela morte de Pedro Paulo como forma de punição por seus comportamentos, notadamente por supostos danos causados a moradores”, explicou o delegado Caio Fernando, acrescentando que o comparsa do investigado preso na segunda-feira também teve a prisão decretada e está foragido.

Em novembro do ano passado, após cumprimento da prisão temporária de um dos envolvidos, o delegado encaminhou à 12ª Vara Criminal a representação pela prisão preventiva dos três indiciados.

Mortes a mando de facções

O esclarecimento do homicídio de Pedro Paulo faz parte do trabalho concentrado desenvolvido desde o ano passado pela DHPP, que reuniu em um mesmo cartório da unidade policial todas as investigações cujos indícios apontam para o envolvimento de integrantes de organizações criminosas.

O trabalho na unidade que apura os crimes dolosos contra a vida na região metropolitana foi adotado para otimizar a atuação das equipes policiais na apuração de homicídios consumados relacionados ao mesmo grupo criminoso o que auxilia a polícia a entender melhor como agem esses criminosos e como a força policial pode trabalhar para esclarecer os crimes e chegar às prisões dos autores.

Walney Rosa

Jornalista, produtor cultural e escritor. Walney de Souza Rosa (Vavá Rosa) presta assessoria e escreve para sites de Mato Grosso e de todo o Brasil. Seus artigos literários e culturais já foram publicados...

Deixe um comentário

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.