A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e o Ministério da Infraestrutura leiloaram, nesta quinta-feira (8), a BR-163/230/MT/PA, que liga o município de Sinop, no Mato Grosso, à Miritituba, no Pará; além de integrar outros 13 municípios nesses dois estados.

O vencedor da licitação foi o Consórcio Via Brasil BR-163, que apresentou o menor valor da tarifa básica de pedágio, no valor de 0,07867 por quilômetro. O consórcio é formado pelas empresas Conasa Infraestrutura SA, Zeta Infraestrutura SA, Construtora Rocha Cavalcante LTDA, Engenharia de Materiais LTDA e M4 Investimentos e Participações LTDA.

A concessão da rodovia à iniciativa privada permitirá investimentos da ordem de R$ 1,89 bilhão em segurança viária e manutenção; e R$ 1,05 bilhão na contratação de serviços ao usuário ao longo de 10 anos. As obras devem gerar cerca de 29 mil postos de trabalho.

Melhorias na BR-163/230/MT/PA

O sistema rodoviário da BR-163/230/MT/PA compreende um total de 1.009,52 km de extensão, integrando o Centro-Oeste e o Norte do Brasil. É considerado o principal corredor logístico para o escoamento da produção de grãos no Mato Grosso e Pará, principalmente de soja e milho.

O leilão permitirá uma série de investimentos no local, que ocorrerão nos primeiros cinco anos da concessão. Essas melhorias incluem a implantação de faixas adicionais, vias marginais e acostamentos e acessos definitivos aos terminais portuários de Miritituba, Santarenzinho e Itapacurá, agilizando o transbordo da carga na Hidrovia do Tapajós.

“Essa BR tem um papel muito importante para um país que tem um potencial enorme de exportação, que tem um setor agrícola em franco crescimento”, afirmou a secretária Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Martha Seillier.

Ferrogrão

Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o leilão da BR-163 é um marco histórico para o crescimento e o progresso do país. “É um passo muito importante para o nosso agronegócio. Um passo intermediário, na verdade, porque a Ferrogrão vem aí.”

A Ferrogrão é uma ferrovia que ligará a produção do norte do Mato Grosso aos portos de Miritituba, no Pará. Segundo o Ministério da Infraestrutura, ela terá um papel estruturante para o escoamento da produção de milho e soja na região.

O ministro ressaltou que o objetivo é transformar a logística do Brasil, tornando o país mais competitivo. “E é um movimento que não vai parar”, afirmou. “A gente vai caminhando na direção da nossa meta de chegar no ano que vem com quase R$ 250 bilhões em investimentos contratados na iniciativa privada.”

Pavimentação da BR-163/230/MT/PA

Nos últimos anos, o Governo Federal promoveu algumas melhorias na BR-163, para torná-la trafegável, facilitando a vida do caminhoneiro, com a pavimentação. Antes, os caminhoneiros levavam cerca de 10 dias para escoar os grãos, segundo o Ministério da Infraestrutura.

“Mesmo depois de pavimentada, de tantos investimentos feitos, a utilização dessa BR constante e crescente faz com que a gente já veja a necessidade de mais investimentos, de recuperação de pavimentos, de reforço, de acostamento. A gente tem ali uma situação, ainda mais antes da pavimentação, que prejudica o caminhoneiro, que prejudica a geração de riqueza, prejudica a saúde, a segurança de todos que transitavam por ali. Então, foi um gol pavimentá-la e está sendo hoje um enorme gol trazendo o investidor privado para estar de mãos dados, nos próximos 10 anos, com o Governo Federal”, afirmou a secretária Especial do PPI, Martha Seillier.

Walney Rosa

Idealizador e Fundador em 21 de janeiro de 2011 da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, que compõe escritores, poetas, músicos e defensores da cultura pantaneira (com sede em Poconé) Antes disso em...

Deixe um comentário

Deixe uma resposta