A edição desta semana da revista Veja trouxe em sua capa reportagem que trata da “nova geração de fazendeiros” no Brasil, que além de consolidar o agronegócio do País como um dos mais prósperos e bem-sucedidos no mundo, vem demonstrando compromisso cada vez maior com o meio ambiente.

A reportagem destacou a adoção de práticas sustentáveis em propriedades de Mato Grosso e enfatizou que, apesar da imagem equivocada que em determinados momentos é atribuída à produção agrícola nacional, “há uma maioria esmagadora de fazendeiros brasileiros que não apenas incorpora medidas de redução de danos ambientais como desempenha papel vital para a preservação da biodiversidade brasileira”. 

Chamados de “fazendeiros verdes”, os produtores Romeu e Dulce Ciochetta, que mantém uma fazenda de 9.500 hectares em Campo Novo do Parecis (400 quilômetros de Cuiabá), foram alguns dos entrevistados. 

Eles colecionam prêmios na área ambiental e são referência em sustentabilidade por integrar a produção de grãos como soja e milho a estratégias que ajudam a proteger os recursos naturais.

A Veja também foi a campo conhecer a Fazenda Roncador, sediada em Querência (927 quilômetros de Cuiabá), que possui uma área equivalente à da cidade de São Paulo e que mantém cerca de 50% de seu território destinados a mata nativa e áreas de proteção permanente (APPs).

O Programa Rebanho, que consiste em promover a pecuária sustentável na região do Médio Vale do Araguaia de Mato Grosso, também foi destaque da matéria. 

Parceira do projeto, a produtora Carmen Perez, da fazenda Orvalho das Flores, na região de Barra do Garças (515 quilômetros de Cuiabá), afirmou que as ações podem parecer modestas, “mas afeitas a gerar grandes resultados no bem-estar do gado”. 

A marcação com ferro em brasa, por exemplo, foi substituída por brincos identicadores. “Isso impacta diretamente na qualidade vida do animal”, explicou.

Walney Rosa

Idealizador e Fundador em 21 de janeiro de 2011 da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, que compõe escritores, poetas, músicos e defensores da cultura pantaneira (com sede em Poconé) Antes disso em...

Deixe um comentário

Deixe uma resposta