“Essas pessoas desconhecidas realizam vaquinhas on-lin, pedem doações nacionais e internacionais por depósitos em contas e transferências por pix, alguns deles quando estão no pantanal usam uniformes que parecem de forças de segurança, querem entrar em propriedades particulares sem autorização, fazem vídeos e deturpam informações para pedirem dinheiro para o mundo. Quem vistoria pra onde e o que fazem com o dinheiro arrecadado? Quem dá o direito deles decidirem o que fazer dentro do pantanal? Alguém deve fazer alguma coisa…” desabafou um proprietário de imóvel na região do pantanal que pediu pra não ser identificado por medo de represaria.

Diante dessas e de outras reclamações e denúncias o vereador Luis Eduardo (Dudu) apresentou um pedido de seu gabinete encaminhado a Mesa Diretora da Câmara dos Vereadores de Poconé, cidade pantaneira de Mato Grosso, para que seja formulado um Requerimento solicitando esclarecimentos e comunicando o Ministério Publico sobre os acontecimentos.

“Vamos solicitar esclarecimentos ao Conselho Regional de Biologia, por vários fatos entre eles a interrupção de hibernação natural dos jacarés, sendo que a SEMA deveria ter dado autorização para qualquer intervenção no pantanal; vamos questionar e queremos respostas”, declara o vereador Dudu.

No ano passado, num período que poconeanos não tinha água em casa, um grupo de pessoas passou a jogar água de carros pipas sobre jacarés que estavam em hibernação nas proximidades das pontes da Transpantaneira, com o passar dos dias os animais entenderam que teria iniciado o período das chuvas e se deslocaram para outros locais da região, segundo pantaneiros tradicionais isso provocou um desequilíbrio natural aos animais resultando em mortes, pois ainda estavam no período de seca.

Quanto aos questionamentos que serão feito na Câmara dos Vereadores, serão encaminhados a várias ONGs e Associações, sendo notificadas pelo diário Oficial, de forma digital e via postal, sendo:

– ECOTRÓPICA – Fundação de Apoio à Vida nos Trópicos

– È o Bicho – Associação de protetores, voluntários, defensores e simpatizantes da causa animal de Cuiabá-MT e região.

– Grupo de Resgate de Animais em Desastres;

– Ampara Silvestre, braço direito da ONG Ampara Animal;

– Chalana Esperança Espaço Silvestre;

– Brigada Pantanal Norte;

Com Cópia para conhecimento:

– Ao Ministério Público do Estado de Mato Grosso – Promotoria Poconé;

– A Secretaria de Meio Ambiente do Estado e do Município;

– Ao IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis;

– Ao CONDEMA –Conselho Municipal de Meio Ambiente;

Para que os representantes dessas instituições prestem esclarecimentos a Câmara dos Vereadores e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, respondendo:

1 – Se suas equipes estão entrando nas fazendas pantaneiras sem autorização?

2 – Se o Ministério Público Estadual ou algum ente fiscalizador pode ter acesso à prestação de contas dos serviços e recursos investidos no Pantanal em Poconé?

3 – Se foi feito levantamento de impacto ambiental para realização de transição de jacarés de seus locais atuais de habitação?

4 – Que o representante de cada instituição venha até a Câmara dos Vereadores prestar devidos esclarecimentos sobre atuação em território municipal.

Na justificativa do pedido de esclarecimento o Vereador Dudu esclareceu: “Diante de manifestos que chegam até os parlamentares desta casa, visto prezarmos pelos esclarecimentos dos fatos e a defesa pela sabedoria do homem pantaneiro e seu conhecimento Intrínseco sobre a vida pantaneira e o meio ambiente, faz-se necessário conhecermos as recentes circunstâncias”, finalizou.

Atualização as 10h28min

A primeira foto de capa oferecida pelo Vereador Luis Eduardo, foi alegado direitos autorais, e a mesma foi retirada da menção na reportagem.

Walney Rosa

Idealizador e Fundador em 21 de janeiro de 2011 da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, que compõe escritores, poetas, músicos e defensores da cultura pantaneira (com sede em Poconé) Antes disso em...

Deixe um comentário

Deixe uma resposta