Mais de 60 pessoas, respeitando as orientações sanitárias, participaram, na manhã de terça-feira (09/02), de mobilização popular na Praça Joaquim Tebar, centro de Poconé, a frente da Câmara dos Vereadores.

A mobilização exigia sensibilidade das autoridades municipais quanto ao decreto proibitivo do início das aulas “presenciais” nas escolas pública e privadas, mesmo que estejam respeitando todas as orientações sanitárias.

Os participantes abordaram as condições sanitárias das escolas particulares e a necessidade dos alunos e pais em terem seus filhos na escola.

Representantes de professores e pais defenderam o retorno imediato das aulas presenciais (de forma hibrida ou mesmo respeitando o numero de 50% de ocupação das salas) na educação básica, mesmo sem a vacinação de alunos e professores.

A discussão começou em uma reunião por videoconferência com o prefeito e promotor de justiça, passou por mobilização na praça central e foi terminar no plenário da Câmara dos Vereadores.

Defesa do retorno às aulas:

A Diretora do Colégio Méritos Madre Luiza Bertrand, senhora Valquíria Mamede Costa Marques alega que o empecilho da volta às aulas na rede particular; “É o decreto municipal. No mais estamos preparadíssimos com todos os planos e programas de biossegurança em dias. Não entendemos porque dessa proibição”, alega a Diretora.

“Cuiabá, várzea Grande entre outras cidades já retornaram, porque Poconé não toma essa atitude como exemplo?”, Questiona.

Representantes de pais:

Essa não é uma defesa somente das escolas particulares, o movimento conta com apoio de todos os pais que tem seus filhos matriculados na rede.

Alguns pais acreditam no ditame de normas por parte do Ministério Público, impondo-se junto à prefeitura.

Reivindicação:

Entre as mães está Teresa Cristina Guimarães de Barros, mãe de um menino de seis anos; “Em 2020 foi um ano desafiador, nos adaptamos e organizamos. Quem se organizou e foi responsável se preparou para 2021. Meu bem maior é meu filho, assim como o bem maior dos pais são seus filhos, por isso acredito que a escola foi adaptada para receber nosso filhos. Nossas crianças precisam estudar, principalmente aqueles em alfabetização. Como ficarão nossos alunos por mais um ano fora da escola. Peço por favor que todas as autoridades que atendam esse nosso direito de reivindicar. Precisamos dos alunos nas escolas”, defendeu a mãe.

O Decreto:

Até o fechamento desta matéria a Assessoria de Imprensa da Prefeitura Não se manifestou a respeito.

Segundo informações o Decreto permanece inalterado ate minimizar os contágios.

Walney Rosa

Idealizador e Fundador em 21 de janeiro de 2011 da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, que compõe escritores, poetas, músicos e defensores da cultura pantaneira (com sede em Poconé) Antes disso em...

Deixe um comentário

Deixe uma resposta