Visando contribuir com a regeneração das matas ciliares e a reestruturação de áreas e ecossistemas degradados pelos incêndios florestais ocorridos em 2020, foi dado início, no último domingo (15/08), ao projeto “Rede de mudas e sementes pantaneiras”, no qual, visa a criação de viveiros comunitários nos municípios de Barão de Melgaço e Poconé (100 km de Cuiabá-MT), pertencentes ao Pantanal de Mato Grosso.

A inciativa do Polo Socioambiental Sesc Pantanal e da Wetlands Internacional conta diversas parcerias para o seu desenvolvimento, dentre elas, a Prefeitura de Poconé que cedeu o espaço público da escola da comunidade rural Capão de Angico para o uso comunitário das 05 (cinco) famílias bolsistas participantes do projeto, bem como, do espaço para a instalação de um dos viveiros.

Na ação, serão coletadas e catalogadas várias sementes de árvores e plantas nativas da região para a produção de mudas nos viveiros, nas quais, posteriormente, serão plantadas nas áreas degradadas do Pantanal. O Sesc Pantanal consumirá cerca de 20 mil mudas por comunidade na primeira produção e o restante será comercializado para fazendas, parques e outras áreas privadas e públicas visando a geração de renda para as famílias inseridas no projeto, evitando, assim, o êxodo rural.

A primeira etapa do projeto terá duração de 10 meses e prevê a produção de 40 mil mudas por viveiro, em uma área de meio hectare e, além disso, também visa a construção de poços para irrigação e depósito para armazenamento e beneficiamento das sementes para produção mudas de alta qualidade e sistema de manejo para coleta de sementes de espécies vegetais nativas.

A cerimônia de abertura em Poconé foi realizada na sede da escola da comunidade rural Capão de Angico e contou com presenças do prefeito Tatá Amaral, da superintendente do Sesc Pantanal, Christiane Caetano, do presidente da comunidade, João Jango, dentre outros. Na oportunidade, foi feita a Assinatura do Termo de Compromisso e Responsabilidade entre as instituições envolvidas e as famílias participantes do projeto que, na solenidade, já receberam os seus equipamentos de proteção individual (EPI’s) e o treinamento/curso de conhecimentos básicos de 08 (oito) horas para o desenvolvimento das atividades.

Walney Rosa

Idealizador e Fundador em 21 de janeiro de 2011 da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, que compõe escritores, poetas, músicos e defensores da cultura pantaneira (com sede em Poconé) Antes disso em...

Deixe um comentário

Deixe uma resposta