Lucas Ferraz, segundo a polícia, tem duas passagens por violência doméstica e lesão corporal. Agressão teria ocorrido em festa por ciúmes. Ele foi demitido da emissora onde trabalhava em Tangará da Serra. O g1 tenta contato com o suspeito.

Por Anthonielli Oldemburg e Rogério Júnior, TV Centro América e g1 MT

A namorada do jornalista Lucas Ferraz negou, durante depoimento à polícia nesta segunda-feira (19), que tenha sido agredida por ele e disse que os ferimentos foram causados por ela mesma. Porém, de acordo com o delegado Gustavo Espíndula de Souza, as lesões contradizem a versão apresentada por ela e um inquérito policial foi aberto para investigar o caso.

Segundo a Polícia Civil, Ferraz acumula duas passagens por violência doméstica e lesão corporal. A ocorrência aconteceu durante uma festa, em Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, no sábado (17) e, conforme o boletim de ocorrência, as agressões começaram após o jornalista ter um crise de ciúmes e dar socos na namorada, de 20 anos. O g1 tenta contato com o jornalista, que trabalha na TV Vale, afiliada à Record TV, e foi demitido nesta segunda-feira.

“Ela negou todos os fatos e disse que ela mesma se agrediu, que tem problemas de ansiedade. Confrontada pelos próprios áudios e por testemunhas, se manteve firme sobre a versão dela. Como é um crime sem representação da vítima, o procedimento foi instaurado por mim com base no que ele já vem respondendo, por violência psicológica, lesão corporal e ameaça”, afirmou o delegado.

A polícia foi até a casa do suspeito, mas ele não foi encontrado. Como não houve flagrante, conforme Souza, não é considerado foragido.

“Estamos esperando o suspeito para prestar esclarecimento sobre o ocorrido. Temos muitos áudios e depoimentos de testemunhas que afirmam que ele a agrediu”, contou o delegado, acrescentando que a perícia apontou que os machucados na mulher não foram causados por ela mesma.

Compartilhe.

Jornalista, produtor cultural e escritor. Walney de Souza Rosa (Vavá Rosa) presta assessoria e escreve para sites de Mato Grosso e de todo o Brasil. Seus artigos literários e culturais já foram publicados em jornais da Europa, Canadá e Estados Unidos. Idealizador e Fundador em 21 de janeiro de 2011 da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, que compõe escritores, poetas, músicos e defensores da cultura pantaneira (com sede em Poconé) Entre obras já publicadas: A fé e o fuzil (A história de Doninha do Caeté); Boca da Noite (Ficção policial); Ei amigo (A história do Lambadão de Poconé).

Deixe uma resposta