A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) cumpriu nesta quarta-feira (14) a prisão temporária de duas mulheres investigadas no inquérito que apura o homicídio do militar aposentado, Noel Marques da Silva, 52 anos, ocorrido em agosto do ano passado, na Capital.

Uma das prisões cumpridas foi da ex-esposa do PM, de 33 anos, em uma unidade pública de saúde de Cuiabá, onde ela trabalha como técnica em enfermagem. O outro mandado foi cumprido contra a ex-sogra da vítima, de 51 anos. Também foram realizadas buscas e apreensões nas residências das duas investigadas.

Após o cumprimento dos mandados, as duas mulheres foram encaminhadas à DHPP, onde foram ouvidas em depoimento pelos delegados Fausto Freitas e Olímpio da Cunha Fernandes Junior. 

O inquérito que investiga o homicídio de Noel Marques, presidido pelo delegado Caio Fernando Albuquerque, reuniu indícios sobre a participação das duas mulheres na morte do militar. Com base nas informações coletadas, ele representou ao juízo da 12a Vara Criminal de Cuiabá pelas prisões e buscas. 

Com as prisões temporárias, a Polícia Civil espera reunir mais elementos informativos a fim de esclarecer a motivação do homicídio de Noel Marques e a individualização das condutas dos envolvidos.

No dia 22 de junho, a DHPP prendeu um homem 36 anos, que é investigado como autor da morte do policial militar da reserva e também do filho dele, Noel Júnior, ocorrida em março deste ano.

Crimes  

O homicídio do policial militar ocorreu na noite de 22 de agosto, quando ele chegava em sua casa, no Jardim Colorado, na Capital. Noel Marques da Silva, 52 anos, foi abordado por dois homens que dispararam contra a vítima e depois fugiram do local.

Em março deste ano, o filho do policial, Noel Marques da Silva Júnior, de 33 anos, também foi morto, no bairro Novo Tempo, em Cuiabá. A vítima foi atingida por tiros quando estava na varada de casa. Segundo relato de uma testemunha, dois criminosos invadiram a casa, quando a vítima reagiu e entrou em luta corporal com os suspeitos, mas foi atingida pelos disparos da arma de fogo, vindo a óbito em seguida.

No primeiro inquérito, presidido pelo delegado Caio Fernando Albuquerque, foram apuradas informações que apontam para o homem preso em junho como um dos responsáveis pela morte do policial da reserva.

O segundo inquérito, instaurado em março deste ano pelo delegado Anderson Veiga investigou o homicídio de Noel Junior e apurou que o mesmo executor estava ligado às duas mortes.

Walney Rosa

Idealizador e Fundador em 21 de janeiro de 2011 da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, que compõe escritores, poetas, músicos e defensores da cultura pantaneira (com sede em Poconé) Antes disso em...

Deixe um comentário

Deixe uma resposta