INDEPENDÊNCIA: ‘O que está em jogo é a liberdade’, diz Bolsonaro referente a 7 de Setembro

Ontem pela manhã, em sua primeira declaração pela comemoração dos 200 anos da Independência do Brasil, o presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), afirmou que o “que está em jogo é a liberdade”.

“Mais que o Bicentenário, é a democracia e a liberdade de um povo. É só ver o que está acontecendo na América do Sul e em outros países”, disse o presidente no Palácio da Alvorada. “O que está em jogo é a nossa liberdade”, acrescentou.

Bolsonaro lembrou da comemoração da Independência quando adolescente, na cidade de Eldorado Paulista, no interior de São Paulo. “Então o povo que está indo às ruas [é] para festejar os 200 anos de Independência e uma eternidade de liberdade”, disse o presidente.

Na sequência, Bolsonaro convocou a população para comparecer aos atos espalhados por todo o país. “Compareça às ruas, dá tempo ainda, de verde e amarelo, as cores da nossa bandeira, para comemorar a terra onde vivemos, terra prometida.”

Em seguida, Bolsonaro chegou à Esplanada dos Ministérios para participar do desfile. A programação do desfile, que começou por volta das 9h, inclui apresentações das Forças Armadas, das polícias Militar e Rodoviária Federal e do Corpo de Bombeiros, além da participação dos estudantes dos Colégios Militares e das escolas públicas do Distrito Federal.

Também participam do ato crianças e atletas atendidos pelo Programa Forças no Esporte, do Ministério da Defesa, bem como o Grupamento de Veteranos da 2ª Guerra Mundial, os “pracinhas”, ex-combatentes da Força Expedicionária Brasileira.

Walney Rosa
Jornalista, produtor cultural e escritor. Walney de Souza Rosa (Vavá Rosa) presta assessoria e escreve para sites de Mato Grosso e de todo o Brasil. Seus artigos literários e culturais já foram publicados em jornais da Europa, Canadá e Estados Unidos. Idealizador e Fundador em 21 de janeiro de 2011 da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, que compõe escritores, poetas, músicos e defensores da cultura pantaneira (com sede em Poconé) Entre obras já publicadas: A fé e o fuzil (A história de Doninha do Caeté); Boca da Noite (Ficção policial); Ei amigo (A história do Lambadão de Poconé).

Deixe uma resposta Cancelar resposta