Por Sandro Alves – Política em foco

O esquema de interceptações telefônicas clandestinas dentro do governo do Estado de Mato Grosso, que violou a privacidade individual de cidadãos, denominado de “Grampolândia Pantaneira”, fez escola.

Um servidor do governo do estado de Mato Grosso está investigando as rotas dos veículos da prefeitura municipal de Poconé, sem ao menos ter autonomia para isso ou mesmo haver alguma irregularidade para que a Justiça determine tal ato.

Todos os dias, o servidor distribui em um grupo de WhatsApp, denominado “POCONÉ PEDE SOCORRO”, o itinerário dos veículos da Prefeitura de Poconé.

O grupo de WhatsApp é administrado pela ex prefeita Meire Adauto, Pelo ex vereador Ademir Zulli, pelo senhor Fabio de Pádua, que além de 23 passagens pela policia, inclusive por estelionato, recentemente foi acusado de ato obsceno e nudez explicita devido a um de seus vídeos ser distribuído nas redes sociais com o mesmo  se masturbando, crime enquadrado no artigo 233 do código penal, outro administrador do grupo é senhor:

Atualização 18h45min pelo Site Mato Grosso Total: Diferente do que afirmado anteriormente o grupo tem como administrador o senhor Marcelo Silva Xavier e não Marcelo Bueno Xavier com afirmado anteriormente.

Porem outro envolvido é o ex prefeito Clóvis Martins. Todas as pessoas do grupo social, principalmente seus administradores, tecem duras criticas a atual gestão porque foram contrarias a Tatá Amaral nas ultimas eleições, sendo que o candidato de oposição foi Clóvis Martins e o esposo de Meire Adauto, o que resultou na derrota nas urnas.

Os próprios internautas chegaram ao suposto culpado do esquema de “arapongagem clandestina”, tendo em vista que a pessoa que fez as fotos das rotas dos veículos acabou fotografando o computador do governo do estado com a etiqueta de patrimônio inclusive o código de identificação.

“O servidor que comete tal crime pode ser afastado do serviço por uso indevido de equipamentos e meios destinados ao serviço público prestado pelo governo do estado, bem como terá que explicar o porquê que em horário de expediente não estava trabalhando e sim realizando ações de cunho particular com equipamento de tecnologia do governo do estado de Mato Grosso. Possivelmente será aberto um PAD (Procedimento Administrativo), podendo ser afastado de imediato para período de investigação”, esclareceu um especialista em direito público.

Nos bastidores, a suspeita dos internautas e sociedade estão sobre o ex prefeito Clovis Damião Martins, que é servidor concursado do estado pela Secretaria de Fazenda (SEFAZ) e ocupa cargo de confiança do governador Mauro Mendes sendo nomeado para Coordenadoria de Fiscalização Volante em Postos Fiscais e Transportadoras (CFPF), por isso teria acesso ao sistema de navegação dos veículos.

Alguns cidadãos que receberam as imagens divulgadas pelo servidor do estado afirmaram que levaram a denúncia a Procuradoria Jurídica do Município e ao Ministério Público Estadual bem como a Ouvidoria e Controladoria do Estado de Mato Grosso.

A Prefeitura Municipal de Poconé não quis se manifestar.

O Outro Lado:

Procurado pela nossa reportagem ao final da tarde desta terça-feira, não conseguimos êxito em falar com o senhor Clóvis Martins.

Ao site Mato Grosso Total:

Clóvis Martins entrou em contato com a redação do site Mato Grosso Total e declarou:

“Não recebi nenhuma ligação de nenhum site de jornalismo (se me ligaram foi período que estava em transito). O sites devem se preocupar com a caixa térmica (com símbolo da Skol) que estava na carroceria do veículo. E por fim, acredito que quem deve justificar alguma coisa é o poder público, respondendo pra onde foi e a caixa térmica que estava na carroceria do carro”, finalizou.

Walney Rosa

Idealizador e Fundador em 21 de janeiro de 2011 da Academia Lítero-Cultural Pantaneira, que compõe escritores, poetas, músicos e defensores da cultura pantaneira (com sede em Poconé) Antes disso em...

Deixe um comentário

Deixe uma resposta