Depois de reunião com o setor de bares e eventos, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), decidiu liberar a realização festas privadas de réveillon, mediante apresentação do passaporte da vacina ou realização de exame RT-PCR, realizado com até 48 horas de antecedência. As festas públicas de Ano Novo e Carnaval foram canceladas pela gestão municipal, por conta da variante ômicron.

Segundo a prefeitura, os Decretos 8.831/2021 e 8.832/2021, que irão regulamentar à adoção das medidas, serão publicados em edição da Gazeta Municipal de quinta-feira (2).

No entanto, apesar de liberar os eventos privados, os eventos públicos de promoção de festas de virada do ano, assim como o Carnaval 2022, permanecem cancelados. “Sabemos dos reflexos causados pela pandemia e, o gestor, necessita de sensibilidade, respeito e diálogo. O setor já foi sistematicamente penalizado com as medidas de enfrentamento à Covid”, disse o prefeito.

Segundo o decreto 8.832/2021, o cartão de vacina, também chamado de ‘passaporte’ e o teste PCR serão obrigatórios nos estádios, ginásios esportivos, cinema, teatro, museu, salão de jogos, casa de shows e apresentação artística em geral, hospitais públicos e privados e órgãos públicos municipais.

A Prefeitura de Cuiabá destacou que as exigências valerão também para adolescentes acima de 12 anos.

Durante a reunião, foi definido que a exigência de cobrança da apresentação do cartão vacina ou exame RT-PCR da Covid-19 será de responsabilidade dos organizadores do eventos e empresários.

Na reunião, o prefeito apresentou sua preocupação com as pessoas que ainda não se vacinaram na Capital. Segundo a prefeitura, 57 mil pessoas com mais de 18 anos não completaram o ciclo vacinal com as duas doses e 33% dos jovens e adolescentes foram vacinados.

“Vamos ampliar os polos e estudamos estratégias para fomentar o acesso à vacinação”, explicou Emanuel.

Para a presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Lorena Bezerra, o diálogo com a prefeitura foi importante e a reunião produtiva, ela destacou que o decreto foi construído em parceria com o setor e defendeu a necessidade de ampliação da vacinação para o fortalecimento da economia de Cuiabá.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta