Influenciadores digitais de MT participam de evento em chácara — Foto: Instagram

Não, não é o BBB de Mato Grosso. Mas estaria bem perto.

Conforme um termo de fomento celebrado entre a Secel e a Associação dos Artistas, Compositores, Músicos e Produtores (ACMP), o governo de Mato Grosso repassou o valor de R$ 450 mil, oriundos de emenda parlamentar de autoria de Eduardo Botelho para a realização de um projeto.

Trata-se da Casa Digital.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (União Brasil), enviou um ofício ao Ministério Público Estadual (MP-MT), na sexta-feira (24), pedindo investigação caso seja confirmado que o dinheiro dessa emenda parlamentar esteja sendo usada de forma ilegal.

O evento, que começou na segunda-feira passada (20) seguiu até o final de semana, e foi realizado em uma chácara, em Várzea Grande.

Ao todo, 10 influencers de Mato Grosso reunidos na casa recebendo instruções para a melhoria do desempenho nas redes sociais. A está no YouTube.

O finalista premiado foi o influenciador Leo Macedo que ganhou 16 mil reais. O programa foi apresentado pelo ex deputado estadual Jajha Neves, também influenciador.

“450 mil pra qualificar 10 influenciadores? É muito dinheiro.” Manifestaram vários internautas nas redes sociais.

O Deputado Botelho foi o responsável pela liberação do recurso, no entanto, ele afirma que o dinheiro deveria ter sido usado para o projeto ‘Casa Digital MT’, que tem por objetivo capacitar os jovens para contribuírem para a divulgação do turismo e da gastronomia do estado.

“Ocorre que tomou-se conhecimento de que os referidos recursos estariam sendo utilizados para outra finalidade, qual seja a realização de um reality show, o que não se coaduna com o propósito da liberação dos recursos. Assim sendo, (…) requer que os fatos sejam apurados e investigados”, diz o ofício de Botelho enviado ao procurador-geral, José Antônio Borges.

O MP informou que recebeu o ofício do presidente da Assembleia e que dará o encaminhamento necessário para atender ao pedido de investigação.

Além do ofício enviado ao MP, o deputado pediu à Secretaria Estadual de Cultura Esporte e Lazer (Secel) para que seja avaliada a possibilidade de devolver o recurso, caso o dinheiro esteja sendo usado para outra finalidade.

“Há indícios de que o recurso dessa emenda parlamentar estaria sendo utilizado para a realização de um reality show, o que diverge do propósito da emenda. Assim sendo, caso os recursos não sejam utilizados para a finalidade destinada, requeiro que seja avaliada a possibilidade de cancelamento e o retorno do recurso em questão aos cofres públicos”, diz.

Walney Rosa

Jornalista, produtor cultural e escritor. Walney de Souza Rosa (Vavá Rosa) presta assessoria e escreve para sites de Mato Grosso e de todo o Brasil. Seus artigos literários e culturais já foram publicados...

Deixe um comentário

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.