Prefeito Eder Marquis x Vereador Diosdete Gomes Pinheiro
Prefeito Eder Marquis x Vereador Diosdete Gomes Pinheiro

Prefeito teria dito que Vereadores não trabalham e acabou sendo mencionado em plenário: “Vagabundo quem foi cantorzinho de ponta de rua e que até agora não trabalhou em lugar nenhum, pois o prefeito não tem contribuição do INSS e o senhor prefeito não tem moral para falar o que disse aquela cidadã, ao afirmar que na Câmara tem um ‘Bando de Vereador Vagabundo’.”

Arenápolis é um município situado no médio norte de Mato Grosso. A desarmonia entre poder legislativo e executivo é muito visível.

A bancada independente da Câmara dos Vereadores está apertando o cerco na fiscalização da atual gestão.

A prefeitura de Arenápolis é administrada pelo ex cantor Eder Marquis, do PP, que na verdade chama-se Ederson Figueiredo.

Eder Marquis foi nomeado na gestão anterior Secretário de Obras, pelo seu tio, então prefeito José Mauro, que conseguiu fazê-lo sucessor.

Na mais recente sessão ocorrida em 03 de março, os ânimos se exaltaram, tendo em vista denúncias feitas em plenário pelos vereadores: acusações de ausência de prestação de contas, sobre quadrilhão instalado na prefeitura e uma suposta fala do prefeito acusando os vereadores de “Bando que não faz nada”.

Os vereadores defenderam a independência do poder legislativo, e um deles afirmou que o prefeito Eder Marquis, nunca teria trabalhado de fato não tendo moral para ofender os parlamentares acusando a casa de leis de “Bando de vereadores que não fazem nada”. E que o cunhado do prefeito mesmo não sendo servidor publico estaria dirigindo carro oficial da prefeitura.

Outra vereadora cobrou qualidade nas obras de pavimentação e denunciou ausência de prestação de contas em evento de cunho social.

Entre as denúncias houve vereador que mencionou “quadrilhão” na prefeitura, investidas contra o sindicato dos servidores e pagamento de servidor abaixo de salário mínimo.

O OUTRO LADO:

A nossa reportagem tentou entrar em contato durante toda a tarde de sexta-feira (04) com a prefeitura de Arenápolis pelo telefone (65) 3345-1105, mas ninguém atendeu as ligações.

PRONUNCIAMENTO DOS PARLAMENTARES:

Vereador Diosdete Gomes Pinheiro:

“Quero aqui dizer que alguns dias atrás, eu me deparei com uma fala irresponsável do prefeito; ele que nunca trabalhou em lugar algum (ele mesmo me disse) e que só tinha contribuição do INSS da prefeitura. Portanto, a palavra que ele afirmou a uma cidadã arenapolitana, a mim não cabe, pois eu trouxe aqui três gibis – Carteira de Trabalho na linguagem do trabalhador-, onde comprova que tenho além de 2 anos do exército, tenho 1,5 de Policia Militar, 6 anos de Itamarati, 8 anos de /segurança/ de Transporte de valores, 3 anos de Banco Nacional, além dos 21 anos de prefeitura; portanto 37 anos de contribuição.

Portanto a frase que o senhor prefeito diz que ‘A Câmara têm um bando de vereadores que não fazem nada – Vagabundos’.

Eu quero dizer: ‘Vagabundo quem foi cantorzinho de ponta de rua e que até agora não trabalhou em lugar nenhum, pois o prefeito não tem contribuição do INSS e o senhor prefeito não tem moral para falar o que disse aquela cidadã, ao dizer que na Câmara tem um ‘Bando de Vereador Vagabundo’,…

Em 21 anos de serviços eu nunca dei prejuízos prefeitura. Mas o senhor prefeito deve avisar aquela irmã dele secretária, que ela está indo pra Cuiabá com carro oficial e colocando o seu esposo pra dirigir, esse sim não é funcionário da prefeitura e não deveria estar dirigindo esse veículo.

Estamos de olho, estamos aqui pra fiscalizar, estou doido pra votar um afastamento do cargo ou a cassação do prefeito”.

Vereadora Rosimeire Tania da Silva:

A parlamentar iniciou criticando a gestão anterior do tio do atual prefeito, destacando a péssima qualidade do asfalto “que hoje está um rio, somente buracos. Não foi feito asfalto somente obras eleitoreiras”, afirmou.

A vereadora tornou público que a mesma empreiteira que fez as pavimentações da gestão passada é que está realizando pavimentação nos dias atuais.

Rosimeire e mais outros parlamentares apresentaram recentemente um requerimento questionando sobre Show realizado com dinheiro público e que a prefeitura não teria prestado contas ao poder legislativo; “prestação de contas apresenta o que foi gasto e não somente o que entrou”, “Cadê o dinheiro que estava aqui”,”Esse dinheiro iria para o bem estar, Casa Lar e Apae”, “Prestação de conta não é pela metade”, “Não havendo prestação de contas estarei levando a denúncia ao Ministério Público” prometeu a vereadora.

Vereador Hermínio de Souza Amaral:

O parlamentar falou sobre a Tabela de Nível dos Servidores Públicos Municipais, defendeu a implantação da PCCS (Plano de Cargos Carreira e Salários) dos servidores e denunciou que o servidor que está como Controlador Interno ao qual segundo o parlamentar havia sido classificado em concurso público em sexto lugar e mesmo assim o prefeito da época (Zé Mauro) deu posse ao referido servidor como se o mesmo estivesse em segundo lugar. “Esse controlador interno esta fazendo uma lambança… espero que o controlador seja exonerado e devolva o recurso público que ele tenha recebido, até pela maldade que o ele tem feito com os servidores públicos”, denunciou o parlamentar.

Segundo Hermínio a tabela atual dos servidores em vigor faz com que o servidor “da elite” com salário corrigidos anualmente de 6,9 mil reais poderão se aposentar com 11,5 mil de salários.

Por outro lado um jardineiro, por exemplo, entraria hoje na prefeitura recebendo abaixo do salário mínimo, ou seja, 879 reais; “Isso é inconstitucional”, denuncia o parlamentar, “Foi criado um quadrilhão na prefeitura”.

“Nós servidores estamos sendo roubados por esse quadrilhão”, declarou o vereador em plenário.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.