Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.

Postado emNotícias Corporativas

Tecnologia da Informação está em alta para quem busca o primeiro emprego

O desemprego teve uma leve diminuição no terceiro trimestre de 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no país foi estimada em 12,6%, com redução de 1,6% em comparação com o 2º trimestre do mesmo ano (quando se registrou taxa de 14,2%) e redução de 2,2% frente ao terceiro trimestre de 2020 (14,9%). Apesar da redução, o desemprego entre jovens ainda é alto, se comparado a outras faixas etárias. A taxa foi de 25,7% entre a população de 18 a 24 anos.

Para quem busca o primeiro emprego ou quer mudar de carreira, a área de Tecnologia da Informação é umas das mais promissoras e passa longe da crise de emprego verificada no país nos últimos anos, inclusive durante a pandemia da Covid-19. No levantamento do LinkedIn divulgado em janeiro deste ano que listou os 25 cargos com demanda crescente no Brasil, a maior parte das vagas são requisitadas para a área de Tecnologia da Informação. Entre os cargos mais requisitados estão: analista de desenvolvimento de sistemas, cientista de dados, desenvolvedor de back-end, gerente de projetos, analista de soluções, consultor de gestão de dados, especialista em cibersegurança, entre outros.

A demanda por profissionais da área, desde níveis de estágio até os cargos de analista e consultor, como listados pelo LinkedIn, é alta, atesta o engenheiro de software Fábio Pedro Ribeiro, com mais de sete anos de experiência no setor de Tecnologia de Informação. Dentro da área, ele cita a subárea de programação como uma das mais promissoras.

“Com a alta demanda do mercado hoje em dia, o profissional de programação é um dos que estão em evidência, aumentando assim as chances de se conseguir uma oportunidade na área em um médio período de estudos. A principal vantagem da área de TI é que por não se exigir um diploma universitário para atuar na área, como se exige em outras profissões, o custo inicial para se ingressar pode ser bem baixo ou quase nulo, visto que existem várias plataformas gratuitas, bem como incentivos de muitas empresas. O que as empresas exigem dos seus candidatos é o conhecimento técnico, que são mensurados mediante testes técnicos durante o processo seletivo”, informa.

O profissional explica que para quem quer iniciar nessa área, o ideal é procurar um curso de Lógica de Programação, que dará as bases para iniciar a carreira. O futuro profissional irá conhecer conteúdos como códigos dos computadores e linguagens de programação e aprenderá como enviar instruções para que o computador possa processar dados.

“Neste ponto eu sugiro Java como a linguagem a ser adotada nesse início. Um conceito muito importante que a linguagem Java utiliza, e é mandatário que se adquira, é o de orientação a objetos. Isto significa trazer para o código a representação da vida real. Basicamente, nesse conceito, objetos (como pessoas, animais, carros etc.) interagem entre si realizando troca de mensagens”, ensina.

Banco de Dados – O próximo passo para os iniciantes na carreira, segundo Fábio Pedro Ribeiro, é aprender sobre a criação de bancos de dados, que nada mais é que a estrutura utilizada para armazenar informações e o uso dessas informações. Ele ressalta que uma outra linguagem, chamada de SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, da sigla em inglês) é outro conteúdo que precisa ser estudado pelo aspirante a programador.

Ainda que os conhecimentos repassados em cursos livres sejam importantes, Ribeiro aconselha ainda a investir em um curso superior na área. “Eu recomendo, assim que for possível, fazer um curso mais formal em uma faculdade ou universidade, mais especificamente, o curso de Sistemas de Informações, pois ele irá abordar de forma mais detalhada todos os processos de análise e desenvolvimento de software. E como é necessário que um profissional de tecnologia esteja em constante atualização, se tornar um especialista é algo que irá agregar muito à carreira. Portanto, uma pós-graduação em engenharia de software possibilitará o embasamento necessário para atuar como profissional dessa área e em todos os processos de desenvolvimento de software”, defende o profissional.