O título da obra “A Semente” é uma metáfora. Assim como uma semente que germina em condições adversas, a resiliência de algumas pessoas as faz vencer e ultrapassar barreiras quase intransponíveis, indo muito além do limite que para elas parecia destinado.

Esta é uma história real de alguém que desde a infância teve que enfrentar a pobreza material e intelectual de sua família, e conviver com os traumas da violência do pai contra a mãe. Em um relato autobiográfico, a personagem descreve os acontecimentos mais marcantes de sua trajetória e como fez para vencer os desafios de carregar as lembranças e marcas do seu passado e, sobretudo, não deixar que este fosse determinante para o seu destino.

“Até o momento só me é possível falar sobre as coisas que já vivi, e o quanto tudo isso contribuiu na moldagem da pessoa que sou hoje. Não acredito que se possa amadurecer indiferente à nossa própria história, mesmo que às vezes ela seja mais dura e real do que desejaríamos que fosse. Se por um lado posso falar do passado, nada posso dizer sobre o que virá. Por mais otimista que eu seja e faça as melhores previsões, o futuro é sempre duvidoso. Porém, há algo que tenho como premissa: seguirei fazendo semeaduras como se fosse colher eternamente as coisas que plantei, e se isso não me for possível, sei que outros colherão, se porventura passarem pelo mesmo caminho pelo qual andei.” relata a autora.

Nascida no dia 06 de maio de 1971, em Mandirituba/PR, Rosilda Pereira Holland é formada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente mora em Brasília/DF com o marido e a filha mais nova. “A Semente” é o primeiro livro da autora, sendo este uma autobiografia, lançado no ano em que ela completa cinquenta anos.