Ter uma casa própria é o sonho de 87% dos brasileiros, segundo levantamento do Censo de Moradia Quinto Andar e o Instituto Datafolha. Entretanto, o caminho para a concretização deste desejo deve ser feito com cuidado, a fim evitar que o processo se transforme em um pesadelo com cronogramas fora do prazo e orçamentos inesperados.

O engenheiro Pablo Batista, especialista na construção de casas de alto padrão e diretor da Construtora Bazacon, explica os problemas mais comuns que podem acontecer ao construir uma casa e dá dicas do que fazer para resolver essas complicações.

1. Projeto e orçamento inadequado

Muitas vezes os proprietários planejam a casa dos sonhos sem garantir que o seu orçamento esteja sincronizado com todas as etapas do projeto. Pode ser uma situação frustrante receber uma estimativa do custo da construção e perceber que o valor excede o esperado.

O ideal é ter um engenheiro civil desde o início do projeto arquitetônico para que ele possa fornecer uma estimativa atualizada de cada etapa do plano. Se a qualquer momento o projeto ou orçamento da casa ficar fora de sincronia, o desalinhamento será detectado rapidamente e ajustado antes de o planejamento ser finalizado.

“Na fase inicial do projeto é calculado o custo e qualidade dos materiais, a quantidade suficiente de mão de obra para realizar o projeto dentro do prazo, o fluxo de caixa, entre outros pontos importantes para que tudo saia como o esperado. Qualquer erro nesta etapa pode gerar prejuízos e muitas vezes até inviabilizar a execução da obra. Contratar um profissional desde a concepção do plano, garante o alinhamento do projeto e do orçamento, evitando gastos muito maiores a médio e longo prazo”, explicou o eng. Pablo, da Construtora Bazacon.

2. Problemas no controle e gestão de tempo

O gerenciamento do tempo da obra deve ser feito de maneira adequada, porque atrasos podem resultar em custos extras para o proprietário, como a necessidade de acrescentar mais horas de trabalho, entre outros problemas.

“Não adianta colocar prazos muito apertados se não será possível cumpri-los. O melhor é calcular a duração da obra com um tempo um pouco a mais, assim caso aconteça algum imprevisto, tudo já está calculado no orçamento”, disse o engenheiro.

3. Gestão de insumos e desperdício de materiais

Pisos, revestimentos, metais, tijolos, são materiais essenciais para a construção de uma casa e um dos problemas comuns que acontecem durante o processo é o desperdício desses produtos, que acarreta em perdas e elevação dos custos. Por isso, é preciso estar extremamente atento ao processo de transporte e armazenamento correto, além de seguir todas as instruções do fabricante no momento da instalação.

4. Má qualificação de funcionários

Uma escolha equivocada da equipe que irá trabalhar em uma obra irá refletir diretamente no cumprimento dos prazos e custos. Além disso, a qualidade da construção também é colocada em risco, trazendo prejuízos futuros ao proprietário.

“É essencial que os profissionais selecionados sejam treinados e capacitados para desempenhar a obra de forma excelente. A vantagem em contratar uma construtora para gerenciar toda a obra é que muitas vezes ela fica responsável pelo fornecimento da equipe, e se ocorrer qualquer problema relacionado a isso, a empresa é quem assume o risco e prejuízo”, falou o eng. Pablo.

5. Chuvas e mudanças climáticas

As condições climáticas podem impactar o cronograma da obra. Perder dias e até semanas por conta da chuva irá gerar prejuízos financeiros, caso o clima não tenha sido considerado no projeto.

Por isso, estar atento à previsão na região da obra é fundamental, para que seja possível antecipar qualquer problema.

“Gerenciar uma obra não é fácil, por isso realizar uma gestão integrada com a cadeia de materiais e prestadores de serviço é essencial para manter toda a programação em dia, sem surpresas”, finalizou o eng. Pablo, da Construtora Bazacon.