Todos os 365 dias do ano de 2022 contarão com ao menos uma celebração de casamento no Brasil: é o que indica a análise de registros de noivas e noivos que se inscreveram na plataforma Casamentos.com.br. A plataforma faz parte do grupo The Knot WorldWide (TKWW). Ao todo, foram analisadas a data escolhida por mais de 300 mil casais brasileiros. 

Para se inscreverem na plataforma da marketplace para a organização do casamento, os casais precisam indicar a data do casamento. Os dia 12 de novembro, 10 de setembro e 15 de janeiro são as datas mais buscadas para o casamento, respectivamente, por 2,03%, 2,01% e 1,95% deles.

Com o avanço da vacinação no país por conta do novo coronavírus (82% da população brasileira já tomou duas doses), o setor nupcial voltou a se movimentar no Brasil. Dados informados pelo Portal da Transparência mostram que 2022 segue o ritmo de celebrações de 2021: até o final do mês de março, 192.248 enlaces foram registrados, um pouco menos que os 193.299 do mesmo período no ano passado. 

A maior parte dos casamentos segue acontecendo aos sábados, de acordo com os dados da plataforma, seguidos por domingos e sextas-feiras. Mas depois de dois anos de pandemia do novo coronavírus e demandas reprimidas, e com 2022 sendo considerado por muitos casais o ano mais “seguro” para remarcar o casamento, os dias da semana – especialmente pré ou pós-pontes de feriados – se tornaram uma opção viável e mais barata para os casais. 

Além de 12 de novembro, 10 de setembro e 15 de janeiro, as datas mais buscadas pelos casais brasileiros são 22 de outubro, 10 de dezembro, 14 de maio, 12 de março, 22 de janeiro, 15 de outubro e 17 de setembro, respectivamente. Em todos os casos, o dia cai em um sábado.

“Tem sido cada vez mais comum prolongar a festa de casamento, realizando-a em dois ou mais dias em eventos próximos às pontes de feriados que se alargam por todo o final de semana. O conceito dialoga bem com estilo espontâneo e casual desta nova fase do setor nupcial e permite aos noivos prolongarem as festividades com a família e amigos, aproveitando mais o casamento”, explica Juliana Gallo, diretora de vendas da América Latina.

Ainda que os sábados continuem sendo a prioridade de escolha dos casais, muitos não conseguiram encontrar o dia disponível para agendar o casamento. O fato abriu espaço não só para as celebrações realizadas durante a semana – que envolvem menos custos e convidados – como também para os enlaces celebrados em dias próximos às pontes de feriados, possibilitando aos casais prolongar a festa, realizando-a em dois ou mais dias, ou usando os dias de feriados para finalizar os detalhes do casamento ou iniciar a lua de mel.

O caso das duas datas mais buscadas em 2022 – 12 de novembro e 10 de setembro – são exemplos de dias que antecedem ou sucedem feriados: o da Proclamação da República, no dia 15 que este ano cai na terça-feira e o da Independência do Brasil, que será celebrado em uma quarta-feira. 

Segundo Gallo, essa é uma das tendências já confirmadas de casamentos em 2022. “Este ano é consequência dos anos anteriores quando os fornecedores liberaram as agendas para dar conta das remarcações. Isso se reflete em agendas lotadas durante todo o ano. O esperado é que o setor ultrapasse neste ano a cifra de um milhão de casamentos”, explica a diretora de vendas da América Latina.

TOP 10 das datas mais escolhidas:

12 de novembro (sábado): 2,03%

10 de setembro (sábado): 2,01%

15 de janeiro (sábado): 1,95%

22 de outubro (sábado): 1,93%

10 de dezembro (sábado): 1,87%

14 de maio (sábado): 1,85%

12 de março (sábado): 1,84%

22 de janeiro (sábado): 1,75%

15 de outubro (sábado): 1,74%

17 de setembro (sábado): 1,72%

Casais de 11 países preferem se casar nas estações mais quentes do ano

Registros de casais em plataformas internacionais que também fazem parte do grupo The Knot WorldWide (TKWW) revelaram similaridades entre noivos de onze países. Enquanto na Europa, casais da Espanha, Itália, França e Portugal concentram os seus casamentos nos meses de junho, julho e agosto, na América Latina, casais do Brasil, México, Chile, Colômbia, Argentina, Peru e Uruguai buscam os meses compreendidos entre setembro e fevereiro para se casar. Isso revela que em ambos continentes há uma tendência dos casais preferirem os meses mais quentes do ano para casar.

No Brasil, por exemplo, a análise dos registros mostra que 54% dos casamentos irão acontecer nos meses de janeiro, fevereiro, setembro, outubro, novembro e dezembro de 2022. Além disso, 8 das 10 datas mais buscadas para casamentos estão concentradas nesses seis seis meses. Algo semelhante acontece na vizinha Argentina, onde 70% dos enlaces de 2022 devem acontecer entre janeiro, fevereiro, setembro, outubro, novembro e dezembro. 

A data mais escolhida para casamentos este ano na Argentina, Uruguai e Chile coincide e é 12 de fevereiro. Na Colômbia é 19 de março; no México, 17 de dezembro; em Portugal, 03 de setembro; na Espanha e Itália é 10 de setembro e na França, 25 de junho.

Veja as datas mais escolhidas por casais em 11 países:

Brasil: 12 de novembro

Argentina: 12 de fevereiro

Uruguai: 12 de fevereiro

Chile: 12 de fevereiro

Colômbia: 19 de março

México: 17 de dezembro

Portugal: 03 de setembro

Espanha: 10 de setembro

Itália: 10 de setembro

França: 25 de junho

Segundo Casamentos.com.br, casar durante os meses mais quentes tem algumas facilidades como a celebração de casamentos ao ar livre e mais horas de sol disponíveis. A luz natural contribui para a economia de energia, resultando em casamentos mais sustentáveis.

Noivos controlam gastos para evitar dívidas pelo casamento

Já outro estudo feito com 4.250 casais que usaram o site Casamentos.com.br para contratar profissionais mostra que eles evitam começar a vida a dois com dívidas. Poupança e economias (56%), pagamentos parcelados (48%) e ajuda da família (30%) são os principais recursos econômicos utilizados para custear o grande dia. Apenas 3,3% responderam que farão um empréstimo para pagar o casamento, em uma pergunta em que poderiam escolher quantas opções desejassem.

Se os brasileiros voltaram a se animar com as celebrações, inclusive considerando alargar as festividades com casamentos realizados próximos a feriados, também é fato que os casais não desejam realizar o casamento a qualquer custo.