Warning: Attempt to read property "display_name" on bool in /home/matogrossototal.com/public_html/wp-content/plugins/wordpress-seo/src/generators/schema/article.php on line 52

Quase metade da população mundial sofre com doenças bucais, segundo estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgadas pelo Ministério da Saúde. São pelo menos 3,5 bilhões de pessoas afetadas e, dentre as diversas enfermidades que podem afetar a saúde bucal, as doenças periodontais, caracterizadas por inflamação dos tecidos que suportam os dentes, são as que mais afetam os brasileiros, segundo o Ministério, que chamou a atenção para o tema por conta do Dia Nacional da Saúde Bucal e Dia Nacional do Dentista, ambos comemorados em 25 de outubro.

Segundo estudo publicado pela Sociedade Americana de Geriatria, as doenças periodontais também podem estar associadas a declínio cognitivo e demência. Os pesquisadores analisaram 47 estudos publicados sobre o tema, que indicaram alguma relação entre essas doenças e saúde periodontal ruim, aquela caracterizada pela presença de periodontite, perdas dentárias, bolsas periodontais profundas ou perda óssea alveolar.

De acordo com o Ministério da Saúde, as doenças periodontais também estão associadas à perda total de dentes. No Brasil, a falta de dentes afeta pelo menos 14 milhões de pessoas, segundo a última Pesquisa Nacional de Saúde, divulgada em 2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa mostrou ainda que 34 milhões de brasileiros adultos, acima de 18 anos, perderam 13 ou mais dentes ao longo da vida.

A cirurgiã dentista e clínica geral Daniela Martins Lima Codello explica que existem alguns fatores que podem levar à perda dos dentes. E um desses fatores, conforme confirma o Ministério da Saúde, é a doença periodontal. Ela destaca que essa doença começa devagar, na maior parte das vezes, impulsionada pela má higiene oral.

“Logo após a escovação dos dentes, se forma o biofilme, que é uma película aderida na superfície dos dentes; e nesse biofilme, existe uma grande concentração de bactérias boas e ruins para a cavidade oral”, explica, acrescentando que sem uma higiene oral adequada, o indivíduo não consegue remover esse biofilme, o que ocasiona a maturação dessas bactérias presentes, transformando-se em placa bacteriana.

A profissional enfatiza que se essa placa bactéria não for removida adequadamente na escovação dos dentes, e com o uso regular de fio dental e enxaguantes bucais, ela se calcificará e formará o tártaro. Segundo a dentista, a presença desse tártaro na cavidade oral causará a chamada gengivite, nome dado à inflamação dos tecidos gengivais pela presença de bactérias do tártaro. Quando a gengivite evolui, ela se transforma em doença periodontal, que é quando o tártaro se instala abaixo do nível da gengiva e agride o osso e os tecidos que sustentam os dentes.

“Esse conjunto (gengiva/osso), quando agredido pelas bactérias do tártaro, busca “se proteger” e “foge” da agressão, causando assim a retração da gengiva/osso e, consequentemente, da mobilidade dental, ocasionando a perda do elemento dentário”, informa.

Cáries e traumas na boca também podem ocasionar perda de dentes

Daniela Codello, que atua há 17 anos na área de Odontologia, informa que a cárie é outra doença que também pode ocasionar a perda de dentes. Isso porque ela é originada por outros tipos de bactérias que se encontram na boca, como o streptococus e os lactobacilos. Essas bactérias se nutrem a partir dos restos de alimentos que se encontram na superfície ou entre os dentes. Ao consumirem os restos de alimentos, as bactérias produzem um ácido responsável pela cavitação (popularmente conhecido como buraco) do dente, pois há a desmineralização do esmalte, ocasionando o enfraquecimento e a perda das estruturas dentais.

“A cárie começa superficial e, se não tratada corretamente, pode evoluir, levando esse dente a precisar de um tratamento de canal, pois as bactérias podem alcançar a polpa (nervo) dos dentes. Em alguns casos, se a cárie for de evolução lenta, o indivíduo não sente dor e quando perceber, o dente se quebra de tal forma que não há mais como repará-lo, levando assim a necessidade de se extrair esse dente”, diz.

A cirurgia dentista cita ainda que a perda de dentes pode ser ocasionada por algum tipo de trauma, causado por pancada ou acidente. “Em alguns casos, quando pelo trauma, o dente é avulsionado, ou seja, quando o dente sai da boca, nós conseguimos reimplantá-lo, mas isso só é possível se o paciente for atendido dentro de uma hora após o trauma. Na maioria dos casos, o dente é perdido e o paciente tem que recorrer a reabilitações protéticas ou colocação de implantes”, comenta.

Com exceção de trauma ou acidente, que nem sempre podem ser evitados, as demais doenças bucais podem ser prevenidas com boa higienização oral. Segundo Codello, o hábito regular de fazer uma escovação e higienização adequada da cavidade oral, aliado às visitas periódicas ao dentista, podem poupar o indivíduo de vários problemas e afastar o fantasma da perda de dentes. “A maioria das causas das perdas dos dentes pode ser eliminada e com isso é possível manter a saúde oral e o bem-estar como um todo”, conclui.

Compartilhe.

Comments are closed.