Warning: Attempt to read property "display_name" on bool in /home/matogrossototal.com/public_html/wp-content/plugins/wordpress-seo/src/generators/schema/article.php on line 52

A pandemia acelerou muitos processos, entre eles a transformação digital nas empresas. Com as restrições, a área de tecnologia foi uma das mais afetadas e demandadas e teve que reinventar seus processos e diminuir custos. Empresas que operavam em sistemas locais e infraestrutura própria começaram a fazer a migração de seus dados para a nuvem, justamente pela mobilidade, acesso rápido e remoto às informações, tempo de implementação menor e redução dos gastos de tecnologia, tornando esse setor de nuvem cada vez maior.

O mercado de serviços de migração em nuvem foi avaliado em US$ 119,13 bilhões em 2020, motivado principalmente pelas pequenas e médias empresas. Um levantamento realizado pela Sky.One em 2021, apontou que 87% das companhias que migraram para a nuvem são de pequeno porte, nos segmentos de Comércio (33,68%), na Contabilidade (14,64%), Tecnologia (10,21%) e Transporte e Logística (7,71%)

Em busca de maior escalabilidade, segurança e capacidade de armazenamento, a migração para nuvem é um mercado em crescimento para os próximos anos. O estudo publicado pela Mordor Intelligence aponta que ele deve chegar a US$ 448,34 bilhões em 2026.

A migração para a nuvem consiste em um processo que envolve a movimentação de aplicativos, dados e outros elementos de negócios para um ambiente de computação em nuvem e pode ser realizada de diversas formas: modelo padrão com transferência de dados e aplicativos de um data center local para a nuvem pública ou movimentação de dados e aplicativos de uma plataforma ou provedor de nuvem para outro. Conforme menciona Ricardo Nunes, CEO da TRIYO Tecnologia, este é um setor que está ganhando força por sua experiência em tempo real, elementos de negócios e acessibilidade aos dados locais.

Igualmente ao cenário de migração em nuvem, o mercado de ERP (Enterprise Resource Planning – Software de Gestão) também está em crescimento e deve atingir até 2026, US$ 61,97 bilhões. Segundo pesquisa da Deloitte, 95% dos empresários utilizam o ERP em seus negócios para terem maior controle e eficiência nos processos. Com a utilização do ERP é possível unificar informações e tornar mais fluida a interação entre os setores proporcionando melhor qualidade na gestão da empresa. Desse modo, a organização consegue gerenciar as operações e otimizar seus processos. Como os dados ficam centralizados e são únicos, também há menos erros e duplicidade, além de tornar a comunicação melhor. Isso possibilita uma tomada de decisão mais assertiva e com embasamento. 

Nada mais provável então, que as empresas invistam em migrar os seus softwares ERP para a nuvem. Uma pesquisa divulgada pela Accenture revela que 78% dos CIOs do Reino Unido acreditam que a nuvem é fundamental para sua estratégia de TI e estratégia corporativa, e 50% dizem que já estão executando um ERP de nuvem híbrida e tendo melhores resultados operacionais e maior agilidade, já que o processo pode ser escalável e de acordo com a necessidade de cada negócio.

A tendência é que, cada vez mais, pequenas e médias empresas iniciem seu planejamento para migração de seus dados e sistemas para a nuvem, já que os empreendedores estão buscando soluções de redução de custo para o negócio e mais segurança para os dados que trafegam na internet. Além disso, os custos iniciais são mais baixos para implementação de software, com rápida implementação, personalização de aplicativos SaaS, fácil configuração e processo de manutenção, retorno automático de dados, recuperação de desastres e de integração.

Estando em nuvem, o ERP adquire mais algumas vantagens:

– Custos reduzidos:

Como o acesso do ERP em nuvem é feito remotamente, a empresa não arca com os gastos para armazenamento, infraestrutura de TI e gerenciamento de dados.

Maior segurança para a sua corporação:

Com o software na nuvem, os dados da empresa são armazenados e gerenciados com mais segurança, além de serem criptografados, com recuperação de dados e backup.

– Acesso remoto:

Os dados da empresa podem ser acessados de qualquer local, inclusive através de dispositivos móveis.

Escalabilidade:

Incluir dados ERP na nuvem possibilita o crescimento corporativo através do aumento de recursos, como espaços para armazenamento, permitindo que o sistema se adapte às necessidades da organização.

– Atualização constante e ágil:

Os usuários do ERP na nuvem recebem atualizações constantes, além de ser personalizável.

Para que a migração ocorra conforme o esperado, é recomendável seguir alguns passos:

1) Mapeamento

A primeira etapa de um projeto de migração para a nuvem é entender o momento da empresa, seu estágio de maturidade e a expectativa com o resultado esperado. Além disso, determinar quais benefícios serão ofertados aos clientes com esse processo, a fim de ter maior eficiência operacional e melhoria na experiência do consumidor.

2) Definição da solução mais adequada e tipo de serviço

Neste passo, deve-se avaliar qual é a solução mais aderente ao negócio e necessidades da empresa e os tipos de serviço em nuvem a serem adotados.

3) Homologação da aplicação

Neste processo são testadas todas as funcionalidades da aplicação em nuvem com o objetivo de garantir a melhor experiência do cliente final no novo ambiente.

4) Contar com uma consultoria especializada

Uma consultoria de tecnologia especializada poderá ajudar a organização a entender todo o cenário de infraestrutura e propor a solução de migração com menor custo e impacto interno.

Segundo Ricardo Nunes, CEO da TRIYO Tecnologia, entender todo o processo para migrar um sistema em nuvem irá garantir que o negócio faça a implementação com menos riscos e obtenha retorno em menos tempo.

Compartilhe.

Comments are closed.