Anualmente, no Brasil, são realizados pelo menos 800 mil implantes dentais e colocados em torno de 2,4 milhões de componentes de próteses dentárias, segundo a Associação Brasileira de Dispositivos Médicos (Abimo), que representa os fabricantes do setor. Diante disso, a odontologia busca uma revolução significativa com os implantes dentais zigomáticos, que têm como objetivo transformar a vida de pacientes com perda óssea maxilar. Esses implantes oferecem uma solução para restaurar a função oral e a estética do sorriso.

Cirurgião dentista, mestre e especialista em implantodontia Paulo Coelho Andrade que realiza implantes zigomáticos desde 2006, compartilha seu entusiasmo com o procedimento. “Os implantes zigomáticos representam um marco importante na odontologia. Eles oferecem esperança e resultados tangíveis para pacientes que antes enfrentavam desafios aparentemente insuperáveis. É uma honra fazer parte dessa revolução odontológica e testemunhar a transformação na qualidade de vida das pessoas”, afirma o cirurgião, que é proprietário da clínica Implantodontia & Odontologia Estética, localizada no bairro Mangabeiras, região Centro-Sul de Belo Horizonte (MG).

Paulo Coelho Andrade explica, ainda, que os implantes dentais zigomáticos são uma resposta para pacientes que enfrentam perda óssea grave na região maxilar, tornando os implantes tradicionais inviáveis. “A principal característica que os diferencia é a ancoragem dos implantes nos ossos zigomáticos, conhecidos como maçãs do rosto, em vez de depender da estrutura óssea maxilar. Eles também podem ser uma opção para aqueles que não podem se submeter a procedimentos de enxerto ósseo”, esclarece.

Em geral, a recuperação dos implantes zigomáticos é mais rápida do que a dos implantes tradicionais porque na maior parte das vezes trabalha-se com carga imediata e não há necessidade de enxerto autógeno. “A maioria dos pacientes pode retornar às atividades normais dentro de alguns dias após a cirurgia”, acrescenta o cirurgião.

Benefícios dos implantes zigomáticos

De acordo com Paulo Coelho, são muito benefícios conquistados com essa nova técnica. Entre eles, estão:

Restauração da função oral: os implantes zigomáticos proporcionam uma restauração completa da função oral para pacientes que enfrentavam dificuldades na mastigação e na fala devido à perda de dentes e que possuem pouco osso na maxila.

Estética aprimorada: além de melhorar a função, esses implantes oferecem resultados estéticos excepcionais, restaurando a autoestima e a confiança em poucos dias.

Procedimentos menos invasivos: comparados com enxertos ósseos tradicionais, os implantes zigomáticos geralmente envolvem menos procedimentos cirúrgicos, resultando em uma recuperação mais rápida.

Os implantes zigomáticos ainda têm uma alta taxa de sucesso e oferecem resultados duradouros. Eles permitem a restauração da função mastigatória e estética, tornando-se uma escolha para pacientes com perda óssea maxilar significativa. “Assim como com os implantes dentários convencionais, a manutenção adequada é fundamental para a longevidade dos implantes zigomáticos. Isso inclui uma boa higiene bucal e visitas regulares ao dentista para check-ups e limpezas”, finaliza o cirurgião dentista Paulo Coelho Andrade.

Compartilhe.

Comments are closed.