O 13º salário dos segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), começou a ser pago no dia 25 de abril. Os aposentados e pensionistas que recebem até um salário-mínimo (R$ 1.212), já estão recebendo. Os segurados que ganham acima desse valor, por sua vez, terão direito à primeira parcela a partir dessa primeira semana do mês de maio. A antecipação beneficia mais de 32 milhões de pessoas e deve injetar R$ 56 bilhões na economia do país. Além disso, a segunda parcela também está com data definida para iniciar o pagamento, será no final do mês de maio juntamente com os salários da competência. 

O pagamento do 13º salário será realizado de forma conjunta com o pagamento do benefício mensal. Assim como no ano passado, o valor será pago em duas parcelas em 2022, sendo que cada pagamento equivale a 50% do benefício. O imposto de renda dos segurados que ganham mais será descontado na segunda parcela.

João Adolfo de Souza, proprietário da João Financeira – portal de notícias focado em informações para beneficiários do INSS -, avalia de forma positiva a medida tomada pelo governo federal que antecipou o pagamento da primeira parcela do 13º dos aposentados e pensionistas do INSS para o final de abril. 

“A decisão pode impactar na economia como um todo e na seguridade social dos beneficiários. É uma forma de ajudar os aposentados e pensionistas que, durante a pandemia, não tiveram nenhuma ajuda ou auxílio do governo federal”, observa. “Muitos beneficiários já estavam com contas básicas em atraso, como contas de luz e água, sem falar de medicamentos, que muitos não conseguiam comprar”.

De acordo com João, a antecipação do pagamento da primeira parcela do 13º também irá ajudar muitas famílias a superar o período de inflação e aumento no custo de alimentos e produtos. Com efeito, o Brasil é o 4° colocado no ranking de maior percepção de inflação pela população, conforme estudo realizado pela Ipsos em 30 países.

Para 73% dos brasileiros, o custo de vida aumentou no segundo semestre do último ano. Na América Latina, a Argentina encabeça a classificação, com 79%, ao passo que o Japão é o país com a menor taxa de percepção de inflação, com 21%.

Na Região Metropolitana de São Paulo, o custo de vida teve acréscimo de 10% em 2021, segundo a Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo). Esta foi a maior alta desde 2015, quando o indicador foi de 11,56%.

Expectativa para próximo anos e 14º salário

O proprietário da João Financeira afirma que o calendário para os próximos anos segue uma incerteza quanto à volta para as datas convencionais. Tradicionalmente, as duas parcelas do 13º eram pagas em agosto e novembro, respectivamente.

“A expectativa é que o pagamento do benefício volte à programação normal nos próximos anos. Para 2022, ainda há a possibilidade da liberação de um abono extra, conhecido como 14º salário, que está tramitando no Congresso Nacional”, finaliza.

Para mais informações, basta acessar: https://www.joaofinanceira.com.br/blog/  ou assistir vídeos sobre o tema no canal do YouTube: https://www.youtube.com/joaofinanceira