A Associação Brasileira de Franchising (ABF) acaba de divulgar os dados referente ao faturamento das franquias no ano passado. A receita passou de R$ 167 bilhões em 2020 para R$ 185 bilhões em 2021 – um crescimento de 10,7% –, chegando próximo ao patamar registrado em 2019, período pré-pandemia, que foi de R$ 186 bilhões.

Pelo segundo ano consecutivo, o setor que mais se destacou foi o de casa e construção, com um faturamento de R$ 14.830 bilhões, com alta de 19,3%.

Para o engenheiro Pablo Batista, proprietário da Construtora BAZA – primeira franquia de construtora do país, a pandemia despertou o desejo das pessoas em ter o próprio negócio. “Nos últimos dois anos muitas pessoas perderam seus empregos ou passaram a ficar insatisfeitas com o trabalho atual, e viram no sistema de franquia uma oportunidade de investir em uma área que acham interessante e que conta com grandes possibilidades de crescimento”, explicou o eng. Pablo. “Recebemos muita procura de engenheiros, arquitetos e construtores interessados em empreender no franchising. As pessoas ficam surpresas que existe essa modalidade para a área de construção civil”, falou.

O modelo de franquia é escolhido pelas marcas como uma forma de expansão, que permite chegar a regiões que não seriam possíveis sem uma rede de franqueados. Mas para ser uma empresa franqueadora, é necessário passar por um processo de formatação, que irá revelar se a organização é franqueável ou não.

Entre as etapas de estruturação está fazer um planejamento estratégico para os próximos anos, mapear processos e padronizá-los, estruturar treinamentos, montar um sistema de suporte ao franqueado, além da parte jurídica.

“Para ser uma franqueadora é preciso ter um negócio consolidado, que já foi testado e aprovado. Antes de optarmos pelo modelo de franquia, atuamos no mercado por 10 anos, entendendo o que dava ou não certo e montando um sistema próprio de operação. Hoje temos um processo completo de gestão integrada com toda a cadeira de materiais e serviços prestados na obra, dessa forma o franqueado inicia no negócio com todo o suporte que ele precisa, como se tivesse pegado um grande atalho e deixado o momento mais difícil de empreender para trás”, disse o eng. Pablo.

Projeções para 2022

A ABF projeta um crescimento de 9% do faturamento, de 2% das redes, de 5% em unidades e de 5% no número de empregos diretos gerados pelo mercado de franquias em 2022.