Muitas empresas têm incluído pessoas com deficiência (PCDs) no mercado de trabalho. Segundo o IBGE, 23,9% da população têm alguma deficiência, o que representa 45,6 milhões de pessoas, e a responsabilidade de incluí-las em todas as atividades da sociedade é de todos.

Além de ajudar a diminuir o preconceito que elas sofrem, essas empresas estão contribuindo para a diversidade no ambiente de trabalho, ajudando no crescimento de todos que ali estão. Dessa forma, saber tudo sobre a Lei de Cotas é necessário para a inclusão e crescimento da empresa.

Mercado de trabalho de PCDs no Brasil

A inclusão de PCDs no mercado de trabalho minimiza a discriminação e garante o exercício da cidadania dessas pessoas. A Lei de Cotas veio para garantir que elas sejam tratadas de forma digna pelas empresas sem sofrer preconceito na hora da contratação.

Milhares de empresas são autuadas pelos auditores fiscais do trabalho, responsáveis pela fiscalização da lei, que deve ser seguida da seguinte forma: para as empresas que tem de 100 a 200 colaboradores, a cota para contratação de PCDs é de 2%; de 201 a 500 colaboradores, 3%; de 501 a 1.000, 4%; e acima de 1.000, 5%.

Segundo dados do site do Governo Federal, o número de pessoas com deficiência no mercado de trabalho atual é de 372 mil pessoas, porém, muitas vagas continuam em aberto. Ao se conscientizarem, as empresas ajudam a acabar com a discriminação das pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

Elas lutam há anos pela igualdade não só no mercado de trabalho, mas na sociedade em geral. Segundo dados da Secretaria de Inspeção do Trabalho, do Ministério da Economia, o percentual de pessoas com deficiência no mercado de trabalho é de 12,17% na administração pública, 54,32% em empresas privadas e 52,48% em empresas públicas e sociedade de economia mista.

Importância da inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho

Além do cumprimento da legislação, a contratação das pessoas com deficiência no mercado de trabalho é fundamental para o desenvolvimento de uma sociedade com respeito e igualdade ao próximo e pela responsabilidade social. Todo mundo cresce com essa inclusão, aprendendo que cada um tem uma necessidade.

Porém, para que a empresa realize a contratação de forma correta e que a PCD não encontre nenhuma barreira no trabalho que a faça se sentir excluída, algumas modificações devem ser feitas, levando em consideração:

Acessibilidade: todas as dependências da empresa devem atender às necessidades das pessoas com deficiência, como banheiros, estacionamentos e as rampas de acesso;

Capacitação: os novos colaboradores devem ser orientados em como exercer suas atividades;

Conscientização dos colaboradores antigos: orientar os profissionais que já estão na empresa sobre inclusão faz com que as pessoas com deficiência tenham um ambiente saudável para trabalhar.

Cada um possui uma necessidade, não importando a sua função na empresa. Por isso, manter tal fato em mente é relevante para mitigar a discriminação. Para tanto, é preciso haver um quadro de colaboradores inclusivo não só por conta de uma legislação, mas também pelo crescimento da empresa e dos seus profissionais, sempre se adaptando e trazendo-lhes benefícios flexíveis.