O número de investidores PFs (pessoas físicas) na B3 (Bolsa de Valores brasileira) avançou 0,9% em abril em relação ao mês precedente. A informação é da própria bolsa de mercado de capitais, que alcançou a marca de 5.079.690 investidores no período, com a chegada de 44.406 novos investidores PFs em relação a março. 

Segundo a B3, a maior parte dos investidores têm entre 26 e 35 anos. Pessoas nesta faixa etária detinham 1.695.673 contas ativas em março, o que representa 33,4% de todas as contas. O Sudeste do Brasil segue como a região que concentra a maioria dos investidores do país.

De acordo com a B3, os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais respondem, juntos, por mais da metade (56,6%) do total de investidores, 39,6 pontos percentuais à frente de Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina somados (16,9%), conforme veiculado pelo site Expert XP.

Para Alex Ramos, supervisor de risco da Saron Investments – empresa do mercado financeiro que atua com assessoria de Investimentos -, os resultados são positivos.

Ele destaca que, cada vez mais, os clientes de assessorias de investimentos ingressantes buscam não só rentabilidade, mas a segurança da sua carteira de investimentos em todos os aspectos – o que traz ao centro da questão a importância de que as empresas do setor atuem com profissionalismo e diligência, considerando todos os aspectos legais.

Compliance e governança são essenciais

Na análise de Ramos, para atender aos clientes de forma assertiva, é fundamental que as assessorias de investimentos busquem cada vez mais a excelência de seus processos operacionais, atuando de forma diligente, atendendo todas as normas, regulamentações e políticas de compliance e mantendo o cliente sempre no centro das atenções.

No campo empresarial, compliance (conformidade, em tradução literal) diz respeito a um conjunto de disciplinas que visam o cumprimento de normas legais e regulamentares, políticas e diretrizes, além de impedir, identificar e lidar com possíveis inconformidades.

“A título de exemplo, o tema compliance é constantemente abordado em reuniões internas da Saron Investments, para que os assessores estejam sempre atualizados quanto às normas e processos internos”, cita. “Isso garante tanto ao assessor quanto aos nossos clientes uma relação transparente e eficiente, trazendo mais conforto e segurança para todas as partes nas tomadas de decisão”, diz ele.

Para o supervisor de risco da Saron Investments, que possui selo de Governança e Integridade da XP Investimentos, a carreira de assessor de investimentos carrega consigo uma série de riscos inerentes às atividades. Assim, buscar um escritório que esteja certificado quanto às melhores práticas de governança, integridade e treinamentos proporciona ao assessor a melhor experiência relativa aos temas regulatórios.

“Um profissional do mercado financeiro deve ter uma conduta alinhada com todas as legislações, normas e políticas internas reduzindo, consideravelmente, os riscos associados a sua atuação enquanto assessor de investimentos”, finaliza Ramos.

Para mais informações, basta acessar: www.saroninvestments.com.br