O Brasil é o 7º país com mais empreendedores no mundo. São mais de 14 milhões de pessoas, de 18 a 64 anos, comandando um negócio, de acordo com a mostra da GEM – Global Entrepreneurship Monitor.

E um dos caminhos que muitos empreendedores seguem é investir no setor de franquias, já que geralmente são modelos de negócios que já foram testados e possuem uma imagem construída junto ao público. Segundo o Sebrae, a taxa de mortalidade das pequenas empresas com até dois anos de operação é de 23%. Enquanto isso, no franchising, o mesmo indicador é de 3%.

“A chance de acerto com uma franquia é de cerca de cinco vezes maior se comparado à uma empresa comum. Sem falar que a franquia conta com ganho de escala, tem propaganda própria e uma rede colaborativa de negócios em que o franqueado usufrui das informações. É claro que há um risco, como em qualquer negócio. Porém, é possível dizer sim que se o franqueado seguir todas as instruções da rede e trabalhar bastante, fica consideravelmente seguro investir em franquias”, explicou o presidente da ABF – Associação Brasileira de Franchising, André Friedheim.

Entretanto, antes de adquirir uma franquia com segurança, é preciso analisar alguns pontos importantes.

1. Escolher o segmento que deseja atuar

O primeiro passo é encontrar um segmento que o empreendedor se identifique. Como ele precisará se dedicar integralmente ao negócio, é importante que seja um setor que o atraia.

A ABF separa o segmento do franchising em 11 categorias: alimentação; moda; saúde, beleza e bem-estar; casa e construção; serviços automotivos; entretenimento e lazer; limpeza e conservação; serviços educacionais; hotelaria e turismo; serviços e outros negócios; comunicação, informática e eletrônicos.

2. Pesquisar as marcas

Após escolher o setor, a próxima etapa é selecionar marcas e conhecer mais sobre cada uma delas, desde a reputação da empresa até possíveis reclamações e taxas aplicadas. Visitar a unidade matriz da franquia e ver como funciona o atendimento, os produtos e serviços, também traz para esse empreendedor uma visão mais completa sobre aquele negócio.

Para a empresária Rebeca Martins, diretora da franquia Dona Waffle, é importante que os investidores conheçam a história da franquia, para entender o processo de criação do negócio e como tudo foi estruturado. “Investir no mercado de franchising é uma ação tranquila quando se segue um modelo de negócio estruturado. Quando decidi montar a Dona Waffle, quis oferecer – além de gelato e açaí – uma opção para períodos mais frios do ano, que é quando as vendas em açaíterias costumam cair. Assim encontrei o waffle belga. Como não havia muitas referências desse produto no Brasil, fui até a Bélgica conhecer de perto como os waffles eram feitos. A partir dessa experiência, criei uma receita própria, adaptada para o paladar dos brasileiros, e dessa forma os franqueados contam com um cardápio que funciona o ano todo. Esse tipo de estratégia é essencial passar para os empreendedores que estão buscando um negócio para investir”, explicou Rebeca Martins.

3. Analisar o contrato e a COF

Assim que escolher a marca, o empreendedor precisa entrar em contato com a franqueadora para ter mais informações sobre o negócio, que somente pessoas realmente interessadas em investir na franquia podem ter acesso.

Para passar esses dados, a franqueadora irá analisar o perfil do candidato para entender sua capacidade financeira, objetivos, habilidades, entre outros critérios que esclarecem se o empreendedor está preparado para aquele negócio.

Nesses documentos – Circular de Ofertas da Franquia e contrato – é possível analisar informações importantes, como faturamento médio, retorno do investimento, deveres e direitos do franqueado, treinamento, suporte, entre outros.

Em muitos casos o franqueado pode até passar alguns dias conhecendo a operação da franquia na unidade modelo, para saber como tudo funciona na prática.

4. Conversar com outros franqueados

Uma estratégia importante para saber se a franquia é segura para investir é conhecendo outros franqueados da marca. Eles poderão passar uma visão mais realista das vantagens e desafios em trabalhar com a franquia, passando mais segurança sobre todo o negócio.

“Investir em uma franquia é como comprar uma casa ou um carro, ou seja, vários pontos precisam ser estudados com cuidado, mas após passar pela parte de escolha do negócio e sua implantação, empreender como franqueado geralmente costuma ser uma trajetória bem mais tranquila do que abrir um negócio próprio do zero”, finalizou a empresária.