Pesquisa, realizada pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Onudi), agência especializada da ONU que propõe o desenvolvimento industrial sustentável, aponta que somente em 2019 os países analisados, entre eles Argentina, Venezuela, Peru e outros latino-americanos, produziram 1,3 megatoneladas de resíduo eletroeletrônico, o que representa um aumento de 49% em relação a 2010. Infelizmente, a reciclagem destes materiais não acompanhou esta alta e apenas 3% foi descartado de forma segura e ambientalmente correta.

Além disso, os dados apontam, também, que a reciclagem realizada com esses produtos ainda é predominantemente mérito de recicladores informais, pessoas que coletam esses eletroeletrônicos em lixões a céu aberto para extrair deles materiais que podem ser comercializados. Mas ao contrário do que muitos podem pensar, esse reaproveitamento não é a melhor opção, já que os produtos podem carregar substâncias tóxicas, como alguns metais pesados, óleos, gases de efeito estufa, entre outros, que quando manuseadas sem cuidado podem causar contaminação no solo, no ar e nos lençóis freáticos, impactando ecossistemas inteiros, além do grande risco à saúde dos envolvidos nessas operações.

Entidades como a ABREE (Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos) têm o objetivo de receber produtos em final de vida útil e dar a eles a destinação correta. A associação conta com serviços habilitados e licenciados desde o transporte e armazenamento até a destinação final ambientalmente adequada destes produtos, em conformidade com os órgãos ambientais competentes. Dessa forma, garante também o cumprimento das exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei nº 12.305/2010) e do Decreto nº 10.240/2020.

A ABREE conta com mais de 3 mil pontos de recebimento em todo território nacional, dando atendimento a mais de 1200 municípios. Para encontrar o mais próximo basta digitar o CEP e o produto a ser descartado para obter os endereços pelo site: https://abree.org.br/pontos-de-recebimento, onde também é possível ter acesso à lista completa dos produtos que podem ser descartados, como batedeira, ferro elétrico, fone de ouvido, liquidificador, máquina de costura, micro-ondas, purificador de água, televisão, entre outros.

Após a retirada dos produtos nos pontos de recebimento, os parceiros da ABREE os encaminham para instalações industriais que realizam a desmontagem dos produtos, consolidação e triagem, chamada de manufatura reversa. Esse processo é realizado por pessoas capacitadas e de forma segura. Há substâncias que precisam receber tratamento adequado antes de serem descartadas para evitar riscos à saúde e ao planeta, enquanto alguns insumos poderão ser reintroduzidos em ciclos de produção para novos produtos, contribuindo para a redução no consumo de matérias-primas.

Contudo, o papel mais relevante nesse processo é dos cidadãos. O cidadão consciente, consumidor de produtos eletroeletrônicos, deve buscar o descarte correto de seus produtos e, dessa forma, contribuir para deixar um planeta mais sustentável para as próximas gerações.