A abertura da exposição da Itaipu Binacional na Expo 2020 Dubai estabeleceu o recorde de visitação diária do Pavilhão Brasil. Ao todo, foram mais de 32 mil visitantes em um único dia. Com o número, o pavilhão se aproximou da marca de 1,8 milhão de pessoas que passaram pelo local, desde o início do evento, em 1º de outubro de 2021.

O grande destaque foi a estreia do ballet “A Lenda das Cataratas”, da Cia. Quasar de Dança e Cia K. Os bailarinos dançam sobre o espelho d’água do Pavilhão Brasil, ao som da trilha sonora composta por Magda Pucci, com projeções em vídeo preparadas por VJ Spetto e coreografia de Henrique Rodovalho.

O público lotou o Pavilhão Brasil para assistir à história de Naipi e Tarobá, que será encenada duas vezes por noite (às 19h e às 20h50) até o encerramento do evento, em 31 de março.

Ao longo do dia, também foi grande a movimentação, que pode ser percebida pelas filas desde a entrada do pavilhão. Logo que chega, o visitante passa por uma instalação que remete aos rios voadores, que é como se chama a conexão entre os biomas brasileiros por meio das chuvas. Ali, houve a explicação sobre como se dá essa conexão pela água. A seguir, por meio de um totem, as pessoas recebem as boas-vindas com informações gerais sobre a Itaipu e Foz do Iguaçu.

O visitante também é convidado a baixar um aplicativo que fornece informações diversas, notícias, roteiro da exposição, e uma seção de QR code que permite projetar, com o celular, animais da fauna da Mata Atlântica em áreas do pavilhão. Também é possível plantar uma árvore, contribuindo com a compensação de carbono de cada visitante.

A exposição conta ainda com cabines instagramáveis (dentro delas, as pessoas parecem estar sob a água). Com óculos de realidade virtual, é possível visitar virtualmente a Itaipu, o reservatório e entender melhor a geração hidrelétrica. Um jardim vertical oferece uma mostra de essências nativas da Mata Atlântica. É possível, inclusive, sentir os cheiros de plantas medicinais típicas da região.

No segundo andar, a Sala Igarapé tem mesas com telas touch screen, em que se pode navegar pela história e ações da Itaipu, e por conteúdos de sustentabilidade. A seguir, há uma sala imersiva 360º mostrando o ciclo da água e sua relação com a geração de energia na Itaipu. Após, o visitante passa por uma galeria em que conhece depoimentos de pessoas da região (Vozes do Território), uso de dados na gestão sustentável do território (Núcleo de Inteligência Territorial – NIT) e ações da Itaipu relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. O roteiro finaliza com a Ciência na Esfera, abordando as ações climáticas da Itaipu.

É importante destacar que quase todas as ativações retornarão ao Brasil e serão utilizadas pela Itaipu no Ecomuseu e em feiras e eventos, constituindo um importante legado para a empresa.