São Paulo – SP 11/5/2021 – Dentro os fatores levados em conta estão a localização do ponto, a área comercial, a experiência dos lojistas no seu segmento de atuação e o mix de produtos.

Na manhã da segunda-feira, 03 de maio de 2021, os executivos da Panama Zona Franca chegaram ao munícipio de Jaguarão-RS para prosseguir com a seleção de lojistas capacitados a participar da plataforma que iniciará o ano de 2022 com 3.000 free shops vendendo sem impostos

O município de Jaguarão, com aproximadamente 30.000 habitantes, faz fronteira com o Uruguai. A ligação entre os dois países acontece através da Ponte Internacional Barão de Mauá, que foi inaugurada em 1930. Fato que reflete a importância do município no trade turístico e comercial do Brasil com dois dos principais mercados do extremo sul da América Latina, uma vez que é umas das portas de entrada dos turistas de Montevideo e Buenos Aires. 

Apesar desta afinidade e do Mercosul, que acaba de completar 30 anos, o desenvolvimento socioeconômico desta região não avançou como deveria por questões relacionadas à falta de infraestrutura e logística que pudessem trazer investimentos governamentais ou privados a fim de fomentar um desenvolvimento permanente.

A movimentação mais promissora foi, quando em 2012, a então presidente Dilma Roussef, sancionou a Lei 12.723/2012 e estabeleceu nas regiões de fronteira seca do Brasil com 8 países da América do Sul uma zona franca comercial, onde lojistas habilitados pela Receita Federal podem comprar e vender produtos completamente livres de impostos. Este modelo de zona franca comercial existe em vários países cuja indústria é incipiente e encontra através do Turismo de Compras o atrativo para incrementar o fluxo de capitais, mas que por outro lado, exige um corpo empresarial de varejo consciente e responsável.

Por perceber esta relevância, a estratégia da Panama Zona Franca é a de selecionar nas cidades-chave os futuros lojistas que poderão representá-la. Dentre os fatores levados em conta estão a localização no zoneamento urbano e na área comercial, a experiência dos lojistas no seu segmento de atuação e um mix equilibrado de lojas com foco na demanda do turismo de compras. Nesta seleção, os lojistas são cadastrados e conhecem a gama de serviços que a empresa disponibiliza desde o primeiro contato.

A plataforma full-service da Panama Zona Franca engloba todos os eventos do varejo sejam eles:

Notariais e Jurídicos

Onde o lojista tem solucionado todo o trâmite de registros, habilitações, coleta e custódia física e digital de todos os seus documentos nos diversos órgãos públicos das esferas Municipal, Estadual e Federal.

Administrativos e Comerciais

Quando o lojista tem a total liberdade de escolher seus fornecedores e as quantidades compatíveis com o tamanho de seu negócio. A plataforma oferece todas as informações a respeito dos custos de aquisição dos produtos, frete e desembaraço aduaneiro, promovendo a máxima transparência e uma rastreabilidade de cada item comprado, sejam eles produtos nacionais ou importados.

Dashboard – Painéis de Controle

A plataforma, através de Algorítimos e Inteligência Artificial, disponibiliza em tempo real as informações mais importantes no processo decisório de uma atividade de varejo. O lojista habilitado não precisará solicitar ou preparar relatórios para embasar suas decisões de preço, promoção, capital imobilizado em estoque, receita bruta, receita líquida, venda por dias da semana ou do mês, vendas por colaborador, tíquete médio por clientes, origem do cliente, rentabilidade por produto ou uma infinidade de outras informações, que atualmente só eram disponibilizadas às grandes redes de varejo. Estas informações estão disponíveis para o lojista 24 horas por dia, 07 dias por semana, tornando-o competitivo e com altíssimo poder de decisão.

Uma das exigências da Instrução Normativa da Receita Federal é monitoramento 24 horas do ambiente da loja e dos estoques, a Panama Zona Franca será a responsável por monitorar o ambiente das lojas, com uma equipe baseada no Estado de São Paulo e apta a acionar os órgãos competentes para proteção do patrimônio.

A comunicação entre o lojista e a Receita Federal acontece no ambiente de tecnologia da plataforma que registra todas as movimentações financeiras e de mercadorias, garantindo que os órgãos reguladores estejam fielmente informados dos detalhes de cada evento. Uma das principais providências é de garantir que o turista de compras que vai se beneficiar da não cobrança de impostos esteja habilitado a realizar suas aquisições e que não está excedendo o limite de US$ 300.00 (trezentos dólares americanos) a cada 30 dias.

Uma das principais questões em Jaguarão é de quem pode se tornar um lojista e o CEO Mohamed Ayala, revela que: “Todo indivíduo nacional ou estrangeiro pode empreender no Brasil, os cuidados da plataforma versam sobre o perfil profissional dos candidatos, sabemos que neste pós-pandemia, muitos irão necessitar recomeçar suas vidas do zero ou até mesmo com dívidas, mas nosso objetivo é de forma responsável prepará-los para esta reestruturação de vida.”

O Diretor de Expansão, Sr. Júlio Monteiro esteve com diversos lojistas e em entrevista a uma rádio local disse que a procura pela plataforma foi maciça. Revelou, ainda, que as empresárias têm se mostrado mais preparadas para ingressar no regime tributário especial. “Elas demonstram um conhecimento mais profundo do mercado consumidor e sabem que 99% das decisões de consumo das famílias são feitas ou influenciadas pela mulher.”

Algumas delas como a Sra. Raquel – das Lojas Raquelitas, já tentaram realizar importações de forma independente, mas os custos de frete e de desembaraço aduaneiro elevavam os valores em quase 350-400% do valor de face do produto, desencorajando um investimento de tempo e capital. Já a Sra. Bruna Dias Ferreira, da Floricultura Bendita, já reservou um espaço completamente novo nas imediações para implantar uma free shop.

Dona Carmen, das Lojas Fênix, está engajada em além de vender os produtos no regime tributário especial free shop, quer modernizar a loja para prestigiar os clientes. “Uma loja bonita e produtos sem impostos vai vender muito mais!”

O CEO da Panama Zona Franca, Sr. Mohamed Ayala, está feliz com os resultados e, em entrevista, revelou: ”é a realização de um sonho de mais de 50 anos poder trazer para a região de fronteira um fluxo de capitais completamente novo e definitivo. Através da nossa plataforma, proporcionaremos um novo fenômeno econômico sem precedentes.”

Os próximos municípios a receberem a equipe da Panama Zona Franca serão Bagé e Aceguá, ambos no Rio Grande do Sul.

Website: https://www.panamazonafranca.com

Deixe um comentário

Deixe uma resposta